Filmando com DSLR e Mirrorless | ON-LINE E AO VIVO | 29/09

Início: 29 de setembro de 2020
Horários
Terças e quintas, das 10h às 12h (horário de Brasília)
Total: 6 encontros semanais de 120′ + 4 encontros com grupos de 3 pessoas durante a semana com duração de 60′
Duração: 06 semanas
Carga horária: 18 h/aula

Pré-requisitos: básico
Público alvo: estudantes, fotógrafos, artistas, cinéfilos e interessados em uma introdução à linguagem cinematográfica

O curso Filmando com câmeras compactas tem como objetivo compartilhar conhecimento e oferecer todas as ferramentas e caminhos necessários para quem quer iniciar ou aprofundar na produção de imagens em movimento.

• O curso inclui certificado

• Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar

Programa

  1. Introdução e apresentação

    Nesse primeiro encontro, o professor fará uma apresentação de si mesmo e do seu percurso como fotógrafo/produtor de imagens/diretor. Cada aluno será ouvido e a partir disso será traçado um percurso que busque manter todos sempre no mesmo nível. Serão apresentados trechos curtos de algumas obras para análise conjunta. Nessa primeira aula, pensaremos um projeto para ser realizado em grupo.
  2. Técnica e software

    Perfis de cor, latitude, velocidade do obturador, tamanho do sensor, FPS, lentes, acessórios e softwares de edição e tratamento.
    Exercícios para a semana.
    As vantagens de uma câmera compacta.
  3. Narrativa e fluxo de trabalho

    Da pré-produção à finalização.
    Um dos grandes desafios é se manter organizado, captar menos e não perder tempo na frente da “timeline” na hora da edição.
    Como a música e o som melhoram ou pioram uma obra audiovisual.
    O professor apresentará  projetos que realizou, explicando cada etapa do processo.
  4. Trabalho autoral e trabalho comercial

    A liberdade, a angústia e as incertezas de um trabalho autoral (ou apenas exercícios de linguagem/técnica)  ajudam muito no processo de um trabalho comercial, com cliente, prazos, metas. E vice-versa.
  5. Porque é importante estudar fotografia e como começar um projeto

    Contar histórias com imagens.
    Aula sobre fotografia, história, recursos narrativos com imagens estáticas e em movimento.
  6. Considerações finais e pitching

    10′ para cada participante apresentar e defender uma ideia de uma obra audiovisual.
    O professor fará, para cada participante, uma análise da ideia e como cada um pode continuar a desenvolver seu próprio projeto.

Imagens: Frames de projetos realizados por Rafael Jacinto.

Professor

Rafael Jacinto é fotógrafo e diretor de filmes. Formado em Rádio e Tv, começou a carreira como fotojornalista no extinto jornal Notícias Populares, em 1999. Em 2000 participou da fundação do Jornal Valor Econômico, onde ficou até o final de 2003, saindo para fundar o coletivo Cia de Foto. O coletivo acabou em 2013 e ele se dedicou a trabalhos comerciais e seu estúdio. No final de 2018, se mudou para Milão para fazer um Master em fotografia. Em 2009, como Cia de Foto, foi convidado para fazer parte de equipe de diretores da recém-fundada produtora de filmes Paranoid, onde ficou até 2017. Em 2017 se associou a Flavia Padrão e João Kehl e fundaram a produtora Fluture, focada no mercado digital. Como diretor de cena, fez campanhas para clientes nacionais e internacionais. Paralelamente ao trabalho comercial sempre desenvolveu projetos autorais de foto e vídeo. O início de sua carreira como diretor coincide com o lançamento da primeira câmera DSLR híbrida, a Canon EOS Mark II. A linguagem fotográfica, o sensor fullframe e a intimidade com o formato ajudaram a construir um estilo de filmagem muito próxima a fotografia. O equipamento era o mesmo, o que permitia realizar trabalhos de foto e video simultaneamente.


Investimento

R$ 400,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• 
Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curso Básico de Fotografia – tarde | ON-LINE E AO VIVO | em breve

Início: em breve
Horários
Quartas: das 16h às 18h (aulas teóricas + proposta de exercícios práticos) – Horário de Brasília
Total: 4 aulas
Duração: 4 semanas
Carga horária: 8h/aula

Nível de exigência: iniciante
Pré-requisitos: câmera própria com modo manual
Público alvo: todos que desejam entrar no mundo da fotografia e ter domínio da câmera fotográfica no modo manual.

O Curso Básico de Fotografia do Espaço f/508 é composto por aulas expositivas online via plataforma Zoom e propostas de exercícios, que visam ao domínio completo da técnica fotográfica e uso do modo manual da câmara, essencial para a construção de imagens. Aborda também conceitos importantes de composição e estruturação fotográfica. Os alunos contam ainda com uma análise de fotos pessoal e personalizada, que acontecerá aula a aula, por email (até 5 fotos por aula).

* O curso conta com apostila em .pdf

Programa do curso

Aula 1 
.Surgimento da fotografia;
.Princípio de formação da imagem numa câmara escura;
.Diferentes tipos de câmeras;
.Diafragma;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

Aula 2 
.Obturador;
.Uso do fotômetro;
.Sensibilidade (ISO);.
Temperatura de cor e balanceamento de branco;
.Conceitos básicos de composição;
.Explicação de exercício prático 

Aula 3
.Objetivas (distância focal);
.Macrofotografia;
.Uso do flash;
.Percepção da luz;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

Aula 4 
.Panning e zooming;
.O arquivo digital: compactação e formatos de arquivos;
.Orientação para aquisição de câmeras;
.Dicas para fotografar assuntos distintos;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

•O curso inclui certificado

•Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar

Professor

Fotógrafo fine art, Humberto Lemos tem foco na fotografia minimalista com influência oriental. Criou o conceito de Paisagens Imaginárias – atua como coordenador e professor no Espaço f/508 de Fotografia, em Lisboa. Fundou o Espaço f/508 de Cultura em Brasília, que, em 2020, completa 15 anos. Realizou a curadoria de diversas exposições e publicações virtuais, e desenvolveu projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e o Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007, e ministrou a matéria Fotografia como suporte para a arte contemporânea, na Pós Graduação f/508. Portfólios: @humbertolemos e www.humbertolemos.com

Há muito tempo que queria inscrever-me num curso de fotografia, mas o facto de ter de conjugar horários sempre me desmotivou. Neste curso encontrei o melhor dos dois mundos: não precisei de sair de casa e tive acesso a imensa informação interessante que me ensinou técnicas que há muito tentava usar. Além disso, em cada aula são nos dados exercícios que põem em prática aquilo que aprendemos. Adorei!

Lara Luís

Pessoalmente, tinha como objetivo do ano dedicar-me à fotografia que eu adoro mas que era aquele ser que fotografava no modo automático.
Nos tempos difíceis que vivemos, este curso permitiu que nem tudo fosse por água a baixo. Em poucas aulas fotografo em modo manual e até me orgulho de fotos que já consigo fazer.
O facto de ser possível ver e rever as aulas é excelente, pois é quando estamos a tentar concretizar os exercícios que surgem as dúvidas e lá vamos nós dar uma espreitadela.
Agradeço imenso à Raquel e ao Humberto pela dedicação, por transmitirem os seus saberes de uma forma genuína e pelas bases sólidas que dão aos vossos alunos.

Rita Ferreira

O curso Iniciação à Fotografia ministrado pelos fotógrafos Humberto Lemos e pela Raquel Pellicano é fantástico! O conteúdo das aulas é robusto, mas como  as aulas são didáticas, fica fácil aprender os conceitos e as técnicas.
Outrossim, a plataforma utilizada permite uma interação da turma com os professores e há a disponibilização do material utilizado na aula para os alunos revisitarem o conteúdo. Muitíssimo obrigado!

Felipe Ribeiro Cardoso

O curso foi maravilhoso, eu comecei do zero e aprendi muito com vocês. Todas as dúvidas que tive vocês conseguiram responder e me ajudar, os feedbacks das fotos também foram bons pra que eu tentasse de formas diferentes. Confesso que no início fiquei meio receosa por ser um curso online e eu nunca consegui ter muita disciplina, mas deu muito certo e eu consegui entender todo conteúdo e sair sem dúvidas. Foi um prazer e espero que nos encontremos em breve, obrigada.

Erika Danielle Peres

Investimento

R$ 225,00 (até a data de início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Fotografia e política: reflexões contemporâneas | ON-LINE E AO VIVO | em breve

Início: em breve
Horários
Segundas e quartas, das 10h às 12h30 (horário de Brasília)
Total: 10 aulas
Duração: 05 semanas
Carga horária: 23 h/aula

Pré-requisitos: básico
Público alvo: estudantes, fotógrafos, artistas, pesquisadores e interessados no tema

O curso “Fotografia e Política” pretende oferecer uma reflexão sobre as relações entre fotografia e questões políticas que envolvem questões referentes a alguns temas como imigração, terrorismo, colonialismo e pós-colonialismo, fornecendo um panorama histórico-antropológico da fotografia como base para um pensamento crítico.

• O curso inclui certificado

• Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar

Serão apresentados vários pontos de vista fornecido por artistas que põem em relevo suas próprias questões que referem aos problemas e discriminações de gênero, raciais, sociais e econômicas através de suas práticas fotográficas. Nesse sentido, as aulas acompanharão a discussão de textos teóricos de importância para a reflexão fotográfica e, também, contemplará a observação de alguma produção contemporânea de imagens, para que, assim, além da base teórica, encontre-se trabalhos representativos e ilustrativos de questões políticas que contemplem uma grande variedade de discursos que circulam dentro e fora do circuito hegemônico da arte contemporânea. A discussão de tais assuntos mostra-se pertinente e condizente com os debates contemporâneos da arte, da cultura visual, da filosofia e dos estudos pós-coloniais.

Programa

Módulo 1: Fotografia e representação do Outro – Imigração, terrorismo e práticas coloniais. História da Fotografia; Imagens da Ciência com a reprodução de inferioridade racial e de género e suas consequências contemporâneas. Leituras teóricas & observação de fotografias produzidas por artistas contemporâneos

Módulo 2: Fotografia e Performance – A mulher na fotografia e suas reivindicações (sociais, raciais e econômicas). A fluidez de género. A performance e a fotografia enquanto documento. Releituras do colonialismo nas fotografias contemporâneas. Leituras teóricas & observação de fotografias produzidas por artistas contemporâneos.

Professora

Lorena Travassos é Doutorada em Ciências da Comunicação (NOVA, Lisboa), no ramo “Comunicação e Arte”, com especialidade em Fotografia. Mestre em Comunicação (UFPB, Brasil) e fotógrafa. Atualmente é professora de História e Técnicas Fotográficas na Universidade Lusófona, na licenciatura de Fotografia, e investigadora assistente no projeto Photo Impulse (financiado pela FCT-PTDC/COM-OUT/29608/2017). É investigadora integrada do ICNOVA e formadora em cursos livres de projetos fotográficos em Lisboa.


Investimento

R$ 400,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• 
Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Oficina de Bordados em Colagem Manual | ON-LINE E AO VIVO | 17/10

Datas: 17 de outubro de 2020
Horário: sábado, de 15h às 17h30 (Horário de Brasília)
Carga horária: 2h30/aula

Nível de exigência: iniciante
Pré-requisitos: habilidade e conhecimento básico de bordado
Público-alvo: entusiastas e interessados em processos artesanais, apropriação e intervenção em imagens e fotografias

Cortes e recortes serão novamente resgatados pelo fio que une tempo, espaço e natureza para uma maior conexão entre os seres e o próprio universo limitante no qual vivemos. Assim, cada um encontrará o próprio eixo dentro de si, por meio do qual tudo surge, e para onde tudo retornará transformado um dia.

Esta oficina é a extensão da Oficina de Bordados em Fotografia, com o acréscimo da técnica de colagem manual.

A partir da exposição de referências visuais e de conceitos contemporâneos, os participantes terão suporte para desenvolver suas potencialidades artísticas, manuais e subjetivas por meio de práticas construtivas, no ambiente online. Por meio da união do bordado livre e da colagem manual, o participante abrirá novos caminhos para ressignificar conceitos imagéticos e criar uma linguagem poética autoral.

Metodologia

– Diretrizes da oficina em linhas gerais; 

– Apresentação dos integrantes; 

– Exposição de conteúdo imagético seguido de algumas considerações e Conceitos; 

– Discussão e proposta de materiais; 

– Execução dos exercícios de forma lúdica, com sugestões e algumas provocações; 

– Análise e orientações das atividades ao longo da prática;

– Avaliação final dos projetos executados e da oficina por meio de diálogo sobre a experiência.

Material

– tesoura, cola, fita crepe, lápis, borracha, régua, estilete de precisão (opcional), papel vegetal, base para corte, que pode ser um papel paraná (mais grosso, para cortar).

– imagens: recortes de revistas, ou fotos impressas, ou ilustrações, ou cartões postais, ou qualquer imagem a ser recortada para a execução da oficina. Quanto mais opções, melhor.

– papéis: um mais firme, com gramatura maior (no mínimo, 90g/m), para servir de suporte. Outros papéis de cores e texturas variadas, de livros antigos, papelão, etc.

– EVA de 1cm de espessura, ou isopor, ou uma estrutura firme que possa ser furada com agulha.

– agulhas número 7 e/ou 9.

– linhas de meada e de novelo de cores variadas, da marca preferida. Ex: Âncora, DMC, etc.

Professora

Regina Corrêa vem desenvolvendo projetos na área de fotografia, especialmente voltados para questionamentos de identidade e memória, buscando para isso apropriações de imagens entre outras construções de imagens. Formada em Letras em 1983, e em Artes Plásticas pela Universidade de Brasilia – UnB, desenvolveu seu projeto final com o trabalho Memórias de Infância, instalação exposta na CAL – Casa da Cultura da América Latina, em 2002. Após um longo período, voltou a buscar novos desafios na área de fotografia. Em 2016, apresentou trabalhos em Havana, no Noviembre Fotográfico, no Panorama f/508 de Fotografia, idealizado pela Fototeca de Cuba. Participou da exposição Onde Anda a Onda 2016, no Museu da República, Brasília. Atualmente expõe trabalhos na Galeria do Espaço f/508 e no Quintal Café. Participa de grupos de estudos de fotografia, onde prevaleça um aprofundamento conceitual para o desenvolvimento de linguagens autorais.

• O curso inclui certificado

• Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar


Investimento

R$ 95,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.

Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Espaço e Desenho de Cena: campos de negociação entre a realidade e ficção | ONLINE E AO VIVO | em breve

Desenho de Cena #1 – São Paulo, Brasil – 2016
Expografia e curadoria por Aby Cohen

Início: em breve
Horários:
quarta-feira, 10h às 12h (horário de Brasília)
Total: 6 aulas
Carga horária: 12 h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos:  Os interessados devem enviar:

– um breve currículo 
– um parágrafo sobre o  interesse neste workshop 
– uma imagem que traduza uma inquietude atual e que dialogue com o contexto local e/ou global

Público-alvo: artistas plásticos, artistas visuais, performers, artistas cênicos, interessados em desenho de cena e ocupação espacial

Para este workshop, a intenção está em explorar inicialmente as condições e possibilidades espaciais nas quais se desenvolvem a cena e suas narrativas – o campo de negociação entre cena e público; elemento fundamental para estudarmos e refletirmos, em meio à atual situação global. São 6 encontros com os participantes para o compartilhamento de conhecimento, experiências e práticas mais autônomas no campo da cenografia, incentivando e conduzindo processos criativos individuais e coletivos, com o objetivo da criação de espaços e narrativas cênicas que dialogam com a atualidade.

Nesta última década, a artista e cenógrafa Aby Cohen, tem desenvolvido pesquisa artística e curatorial na qual explora possibilidades de criação, produção e apresentação do desenho para performance. A pesquisa reúne prática, teoria e formação, resultando em diferentes ações e projetos. Inclui sua tese de Doutorado concluída na  ECA/USP em 2015, o projeto de ocupação NO MAN’s LAND ( Quadrienal de Praga, 2015), o projeto DESENHOS DE CENA # e os projetos artísticos e curatoriais para 3 edições da Quadrienal de Praga, em 2011 ( premiada com a TRIGA de OURO), 2015 (curadora Internacional SharedSpace/Politics) e 2019 (curadora do Brasil)

Trata-se de um trabalho contínuo no campo da intersecções entre a Cenografia Teatral, a Arte Instalação e a Expografia. 

A investigação da artista é focada na construção de narrativas não verbais, explorando a potência material e sensorial da cena – espaço, matéria, luz e som. As narrativas estão necessariamente relacionadas ao contexto e às questões locais e globais urgentes.

Sobre o DESENHOS de CENA#

Com início em 2015, a partir do projeto de ocupação NO MAN’s LAND, realizado em PRAGA, para a PQ2015/ SharedSpace – POLITICS, em Junho/2015, desdobra-se em diferentes formatos e edições, está em sua terceira edição #3. Para mais detalhes das edições passadas, acesse os links: CENA #1 . CENA #2 . CENA #3.

Programa do curso

Encontros 01 e 02 

– Apresentação do curso
– O Espaço e a Cena  / a relação entre a cena e o público

Encontros 03 e 04 

– A Narrativa
– Práticas criativas individuais e coletivas

Encontros 05 e 06 

– Prática de projeto 
– Apresentação de propostas

Fotos de: Roderick Steel / Ding Musa / Calen Dawkins / Denise Fujimoto e Fotos de Arquivo da Autora

Professora

ABY COHEN, cenógrafa brasileira, trabalha para teatro, exposições e produções cinematográficas; criando e realizando importantes projetos nacionais e internacionais. Doutora em Artes Cênicas/Cenografia, pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), também integra projetos como: Vice- Presidente da OISTAT Internacional; Curadora e Designer da Mostra de representação Brasileira na Quadrienal de Praga 2011 – PQ’11; Curadora Internacional na Quadrienal de Praga – PQ’15 – Politics; Professora no curso de Pós-graduação em Cenografia e Figurino na Faculdade de Belas Artes– SP Curadora em Exposição e Performance WSD/World Stage Design 2013.

Performance “Ni Una Mas” por Giulia Pecorari é parte do Desenhos de Cena #1. Explora a fragilidade física e mental em relação com a violência contra a mulher e como isso pode ser expressado através do figurino.

Investimento

R$ 225,00 (até o início do curso ou enquanto houver vagas)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

À vista: transferência bancária

• Cielo [em até 12x sem juros]

• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.

• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Fotografia de retrato e moda | ON-LINE E AO VIVO | 02/10

Imagem de capa: Raquel Pellicano

Início: 02 de outubro de 2020
Horários
às sextas-feiras, das 15h às 17h (horário de Brasília)
Total: 06 aulas
Duração: 06 semanas
Carga horária: 12 h/aula

Pré-requisitos: domínio de fotometria
Público alvo: fotógrafos amadores ou profissionais interessados em aprimorar técnicas relacionadas à fotografia de pessoas, direção, conceituação, iluminação e construção de retratos planejados e encenados.



O curso é composto por aulas expositivas visando ao domínio e ao entendimento da produção fotográfica de retratos comerciais e autorais. Além do conteúdo voltado para a realização de trabalhos comerciais, o curso fornecerá indicações sobre como inserir uma linguagem autoral na fotografia de retrato, como uma maneira de criar vínculo entre as imagens e o cliente.

O curso é destinado a fotógrafos profissionais e amadores, que desejam aprimorar seus conhecimentos e adquirir uma dinâmica de trabalho nas áreas de retrato e moda, vivenciando na como funciona o dia-a-dia dos profissionais que atuam nestes ramos.

Programa

1ª aula –
. O que é um retrato? Conceitos e reflexões
.Tipos de trabalhos comerciais com pessoas, suas diferenças/características: editorial de moda, Catálogo, fotografia publicitária, look-book, beauty, lifestyle, famílias, retratos corporativos, boudoir, retrato autoral.
. A equipa na produção fotográfica – Informações importantes acerca de styling, maquiagem, modelos e produção fotográfica
. Diferenças entre produção fashion e comercial
. Proposta de exercícios

2ª aula –
. Diferenças do meio digital/analógico
.Lentes adequadas para cada situação em retrato e suas respectivas características
. Técnicas de direcção e pose – como dirigir, o que nunca fazer
. Proposta de exercício
.Breve história da fotografia de retrato e moda

3ª aula –
.O conceito na fotografia de moda/retrato
.Em busca de uma linguagem autoral
.Iluminação em estúdio – dramatização/suavização, luz dura/luz suave, uso do flash de estúdio, sincronização de radioflash, modeladores de luz e seus resultados, gelatina colorida, montagem de estúdio fotográfico, usos e possibilidades da luz contínua


4ª aula – Tratamento de imagem básico para retratos, com Adobe Photoshop CC
.Remoção de manchas, espinhas e imperfeições
.Suavização da pele
.Remoção de olheiras
.Distorções
.Criação gráfica (dípticos e trípticos)

5ª aula –
.Percepção da luz natural
.Luz de janela
.Luz direta/contra-luz
.Luz de preenchimento
.Uso do rebatedor
.Flare
.Luz dura/ luz suave

6ª aula –
.Apresentação e análise de portfólio dos alunos
.Inserção no mercado fotográfico comercial
.Dicas sobre a criação de portfólio virtual
.Elaboração de orçamento
.Diálogo com clientes em potencial
.Discussões acerca do mercado fotográfico
.Considerações finais

Professora

Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), Raquel Pellicano é fotógrafa e artista visual, com produção autoral e experimentações em linguagem fotográfica. Comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino e registros de viagens. Com 32 anos, é sócia do Espaço f/508, ministra cursos e oficinas e está à frente do estúdio fotográfico. Criou o programa do curso de pós graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação, que teve início em março de 2018. Assinou diversos editoriais de moda, com trabalhos publicados nas revistas Vogue Brasil, Trip, VIP, Playboy e VIP moda. Em 2012, realizou uma palestra sobre fotografia e Retrato à convite da Fnac. Em 2020 participou do podcast Filosofia de Bar, com Mayã Fernandes, e do projeto Coleção Particular, de entrevistas com Raisa Pina. Atua em Lisboa e na Europa.


Investimento

R$ 280,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• 
Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Bate-papo gratuito: Arte, artivismo e pandemia | ONLINE E AO VIVO | 27/04

Guerrilla Girls

Data: 27 de abril de 2020
Horários: segunda-feira, às 18h – Horário de Brasília

Público-alvo: artistas e entusiastas, curadorxs de arte, comunicadorxs, designers, arquitetos, museólogos e estudantes

Inscrições

Clique aqui para se inscrever.

. O bate-papo é gratuito e será realizado através da plataforma Zoom.
. Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Programa

No dia 27 de abril, às 22h (horário de Lisboa), o f/508 Lisboa e o f/508 Brasília convidam a todos para participação na roda aberta de conversa “Arte, artivismo e pandemia”, onde Camilla Ceylão (comunicadora de causas e entusiasta) e Renata Azevedo Moreira (pesquisadora e curadora de arte) contam com a mediação de Monica Nassar (artista e sócia administradora do f/508) para um debate sobre as formas que o artivismo pode tomar em tempos de coronavírus, discutir as contribuições sociais do engajamento político da arte e de que formas a arte nos ajuda a enxergar o mundo de maneira mais crítica.


Em seus ensaios sobre Arte Relacional, Nicolas Bourriaud coloca, como uma das grandes contribuições da arte contemporânea, a perspectiva da obra de arte como agregadora e do museu como lugar de interação. Existe cumplicidade nos olhares que se doam à compreensão da obra aberta e o ato de se compartilhar o mesmo espaço/tempo se reverbera em memória restrita àqueles que puderam se fazer presentes. 

A contemporaneidade nos introduz mais um celeuma no mundo da arte: o artista, despido e liberto da técnica, que (ainda no caráter relacional) assume o compromisso com o engajamento coletivo, a complexidade das participações sociais e seus confrontos com forças governamentais e corporativas, e, na década de 60, no Brasil, autoritarismo. 

O termo “arte ativista” foi criado pelo coletivo norte americano Art Ensemble” em 1996, utilizado para definir artistas que se utilizavam de tecnologias e mídias diversas para desenvolver contribuições sociais. Mais tarde, em 2003, Juliana Monachesi publica um artigo na Folha de São Paulo chamado “A explosão do A(r)tivismo”, citando Cildo Meireles, Helio Oiticica e outros artistas. 

O aspecto relacional da arte, nesse momento, depende diametralmente dos dispositivos de comunicação. Não passa despercebida a profusão da arte politicamente engajada nos anos 90, contígua a popularização da nossa tão conhecida (e talvez mais necessária que nunca) internet. 

O ano é 2000 e esse vai ser o meu ano 20. Uma pandemia continua a se alastrar no mundo. Estamos lidando com a interdição dos pontos de encontro sociais, os famosos “nós” urbanos, e dependendo ainda mais da formatação virtual das relações. O presente carrega consigo uma série de incertezas. Estamos sem prazos para soluções e muito menos para o fim. O cenário pode ser desanimador para aqueles que ainda não perceberam que estamos moldando o que vem a seguir. Há uma latente necessidade de adaptação do “fazer”. Nós, artistas, estamos nos deparando, ainda mais enraizados na rede de computadores interligados, com a possibilidade de formatarmos os novos espaços de arte, novos engajamentos, novas participações sociais. 

HOUSTON, TX – DECEMBER 16: Conceptual artist Nadezhda Tolokonnikova (C) of Pussy Riot performs onstage during Day for Night festival on December 16, 2017 in Houston, Texas. (Photo by Rick Kern/WireImage)

Participantes

Renata Azevedo Moreira é jornalista, pesquisadora e curadora de arte. Doutoranda em Comunicação pela Universidade de Montréal, Renata estuda o diálogo estabelecido entre o gesto curatorial e a obra de arte especialmente no caso das mídias digitais. Em sua visão, o projeto artístico torna-se obra a partir das relações que estabelece com sua exposição, e a obra de arte é mais bem compreendida como um processo construído ao longo do tempo do que como um objeto singular e fixo. Além dos textos acadêmicos, Renata publica resenhas de exposições em sites e revistas de arte canadenses, como Baronmag.com e Esse Arts+opinions, participando também de comitês de programação e conselhos de administração dos centros de artistas Skol e Studio XX em Montréal. Atualmente, ela trabalha como coordenadora de comunicação e programação paralela da galeria Arts Visuels Émergents (galerieave.com).
Seu artivismo se manifesta principalmente na orientação feminista e queer de suas intervenções artísticas. Na exposição coletiva Femynynytees, realizada em 2018 em Montréal, ela convidou artistas a repensarem o que significa ser ou ter um corpo feminino em um contexto em que o sexo biológico não determina mais o gênero de uma pessoa. No mesmo ano, Renata coordenou a programação do festival feminista de novas mídias HTMlles, também em Montréal, com uma exposição coletiva na temática pós movimento #metoo chamada Beyond the Hashtag: Failures and Becomings. Em épocas de confinamento, Renata tenta manter a sanidade mental com práticas diárias de ioga e tarô entre uma página e outra da redação de sua tese – mas ela também tenta aceitar que está tudo bem não ser tão produtiva assim neste momento.

Camilla Ceylão é feminista, comunicadora de causas e entusiasta da arte e cultura. Sua trajetória profissional é diversa e inclui experiência em diferentes áreas e em todos os setores, incluindo governo, empresas e organizações da sociedade civil.
A paixão por arte e cultura a acompanha desde cedo, assim como a atuação guiada pela defesa da justiça social e dos direitos humanos. Atualmente ela trabalha com comunicação de causas em uma OSC, a Nossa Causa, e é responsável pelo marketing de uma agência movida por causas sociais, a BeCause. 
Camilla descobriu o termo artivismo quando um artista a identificou como “artivista” após ouvir sua apresentação. Desde então, ela passou entender melhor a conexão entre seu trabalho e seu hobbies – entre comunicação, política e arte. 
Ela ainda não se considera uma artivista, mas se sente lisonjeada por ter sido reconhecida como tal.

Mediadora

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retorna para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participou pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”. 

Eisenstein no Brasil: breves anotações reflexivas | ON-LINE E AO VIVO | Em breve

Retrato de Sergei Eisenstein (data desconhecida)

Início: Em breve
Horário: terças e quintas, das 15h às 18h (Horário de Brasília)
Total: 6 aulas, 18 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: fotógrafos, cineastas, estudantes, e demais interessados em cinema

*O curso será ministrado através da plataforma Zoom



O curso apresenta uma introdução às produções cinematográficas e teóricas de um dos maiores diretores do século XX, Serguei M. Eisenstein.
O programa busca difundir a linguagem cinematográfica de Eisenstein a partir de um novo ponto de vista, no qual é possível refletir sobre as produções fílmicas e teóricas desse cineasta pelo olhar de intelectuais e artistas nacionais, aproximando assim duas culturas distintas por meio do cinema. Ao redor do mundo, são traçadas novas perspectivas sobre suas imagens e teorias sobre montagem cinematográfica, pois compreendem o poder que há nas imagens midiáticas, produto de montagens audiovisuais sobre os indivíduos e sociedades, consequências das teorias de montagem de Eisenstein e de outros cineastas do início do século XX.

Serão 06 encontros estruturados a partir de proposições associadas aos filmes A Greve (1924), O Encouraçado Potiómkin (1925), Outubro (1928), Aleksandr Niévski (1938), Ivan, o terrível – parte I e Ivan, o terrível – parte II (1944, exibido em 1958). Com a análise de determinados trechos de cada filme, o aluno desenvolverá práticas com as quais conseguirá compreender com maior profundidade algumas das questões formais e conceituais utilizadas pelo cineasta russo-soviético. Essas atividades são acompanhadas de discussões advindas da tese Eisenstein no Brasil, a qual apresenta um panorama dos ecos eisensteinianos em território nacional, sendo estes entendidos como intersecções artístico-culturais.

Retrato de Eisenstein por Margaret Bourke-White

Professora

Fabiola Notari é artista visual e pesquisadora. Doutora em Literatura e Cultura Russa pelo Departamento de Letras Orientais (DLO/FFLCH/USP) em Poéticas Visuais pela Faculdade Santa Marcelina (FASM/ASM) e bacharel em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, onde leciona desde 2012. Desde 2014 coordena o Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos e em 2018 criou o Núcleo de Livros de Artista em parceria com Marisa Garcia de Souza. Ambas as iniciativas são realizadas na Casa Contemporânea, espaço multidisciplinar localizado no bairro de Vila Mariana em São Paulo-SP. Já participou de exposições e mostras artísticas no Brasil e no exterior com sua produção voltada à linguagem gráfica – gravura, desenho, fotografia e livro de artista.
Por conta de sua formação em artes visuais e de pesquisa teórica em arte, literatura e cultura russas, Fabiola Notari ministra oficinas e cursos voltados à produção, pesquisa e difusão do livro de artista e práticas voltadas à linguagem gráfica – desenho, gravura e fotografia -, além de apresentar proposições interdisciplinares mesclando cinema e as artes visuais por meio das teorias e filmografia de Serguei M. Eisenstein. Por conta de seu perfil, oferece com frequência orientações de projetos artísticos.


Investimento

R$ 337,50 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Mini curso sobre história da direção de arte | ON-LINE E AO VIVO | em breve

Início: em breve
Horário: terça e quinta, de 19h às 22h
Total: 06 horas/aula
Duração: 2 encontros

Nível de exigência: básico

Público-alvo: fotógrafos, cineastas, estudantes, e demais interessados em cinema

O curso traz uma proposta para a historicização da relação do ser humano e do espaço (nem tão) ficcional ao seu redor, passando pela história da cenografia e do cinema, e chega em algumas formas contemporâneas de se utilizar processos da direção de arte como operação poética.

O ser humano cria imagens acerca de sua relação com o mundo e com suas histórias desde há muito tempo. No início, eram os desenhos nas paredes das cavernas a maneira e o local de se relacionar com esses entornos. Hoje, vestimos óculos VR e fones de ouvido, e às cavernas podemos retornar, imergindo em novos mundos e narrativas possíveis que eram, até então, apenas imaginadas.

Professora

Monica Palazzo é Graduada em Imagem e Som pela UFSCar. É doutoranda em Poéticas Visuais pela ECA/USP. Seus trabalhos mais recentes são os longas “Borrasca”, Guigo Offine”, “Para a minha Amada Morta”, “Oração do Amor Selvagem”,  “Eu te Levo”,  “O Diabo Mora Aqui”, “Rio Cigano”, e “Cores”. Em TV, fez a Direção de Arte das séries: “Tudo o que é Sólido pode Derreter, os realities “Lowider  Brasil” (Discovery) e “Cinelab” (NBCUniversal), “O Zoo da Zu” (DK),  “Rotas do Ódio”  (NBCUniversal), “Mauá, o primeiro gigante” (History Channel) e “Mal me quer (Warner Channel). Recebeu prêmios de direção de arte no Festival de Brasília 2015, Festival de Cinema da Fronteira /Bagé 2015, CinePE 2006 e 2008, e no Festival de Cinema Brasileiro de Miami 2011, FAM 2014. Dirigiu os curtas “Páginas de Menina” (2008) e “Trilogia: 1718, 1972 e 2009” (para o Fucking Different SP, estreou no Festival de Cinema de Berlim em 2010). Criou cursos de direção de arte livres e de pós graduação. Ministra cursos e oficinas de direção de arte desde 2005.


Investimento

R$ 250,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Estética Visual | ON-LINE
| 19/10

Imagem: Andy Warhol, O nascimento de Vênus dos Detalhes de Pinturas Renascentistas, 1984

Início: 19 de outubro de 2020
Horários: Segundas e quartas, das 19h às 21h (horário de Brasília)
Total: 07 aulas
Duração: 07 semanas
Carga horária: 14 h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: fotógrafos, arquitetos, designers, artistas, cineastas e entusiastas em ampliar seu repertório estético

O curso de Estética visual do Espaço f/508 é composto por aulas expositivas ao vivo via plataforma Zoom e acompanhamento da professora Mônica Nassar.

Tem como objetivo o desenvolvimento e ampliação do repertório estéticos dos alunos, usando como base o conceito de “belo”, além da leitura e compreensão de imagens e produções artísticas a partir das faculdades estéticas e composições de linguagem da imagem.

Programa do curso

  • O que é belo?
  • Estética: o que é? O que come? Onde vive?
  • Qual o papel do artista em frente ao conceito de belo?
  • Estéticas: Retrô futurista, Bauhaus, Minimalismo, Brutalismo e Steam Punk, Erótico, Grotesco, Banal, Natureza morta, Expressionismo, Surrealismo, Cyber Punk, Futurismo, Arte Digital e a Estética da Paisagem (Walkscapes), estéticas orientais
  • Análise fílmica de aspectos estéticos da fotografia cinematográfica.
Venus, Jean-Michel Basquiat

Professora

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completou a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produziu o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retornou para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participa pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”. 


Fazer esse curso foi muito bom. Saí totalmente da minha área de conhecimento, o que abriu demais minha mente. Sou amante de arte, museus, galerias, e tenho minhas preferências. Contudo, depois desse curso vou olhar para a arte contemporânea (principalmente, pois é com ela que menos me conectava) com olhos totalmente renovados.

Marina Kluppel

O curso foi uma experiência extremamente engrandecedora. Gostaria de parabenizar tanto a seleção de tópicos na grade curricular, quanto a atuação da professora Monica, que unidas fizeram dessa uma vivência muito especial do universo da estética visual.

Raquel Alves

Investimento

R$ 350,00 (até a data de início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.