Filosofia da Fotografia – Módulo I | ON-LINE E AO VIVO | 02/03

Imagem de capa: Raquel Pellicano

Início: 02 de março de 2020
Horário: às terças e sextas, das 15h às 18h
Total: 8 aulas, 24 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Todas as pessoas interessadas no tema



Ao longo da história da filosofia ocidental, a experiência da visão propiciou a filósofas e filósofos a formulação de teorias no âmbito da arte. Com o surgimento da fotografia, com a Revolução Industrial e os avanços tecnológicos, a arte e a fotografia entrelaçaram-se com questões metafísicas, éticas e políticas. O curso irá inserir os participantes na linguagem filosófica para a compreensão dos principais conceitos sobre a imagem fotográfica.

Programa

Encontro 1 

Introdução à filosofia da fotografia 

Introdução ao método filosófico e o surgimento da filosofia da fotografia. Obra indicada: Fotografia e história, de Boris Kossoy. 

Encontro 2 

A criação de conceitos na perspectiva de Roland Barthes 

Compreender o conceito de punctum e o conceito de câmera clara.

Filosofia e estudo de caso I 

Estudo de caso colocando em prática os conceitos assimilados na filosofia de Barthes. 

Obra utilizada: Câmera clara, de Roland Barthes. 

Encontro 3 

A relação entre o/a fotógrafo/a e o aparelho 

Estudo acerca teoria de Vilém Flusser sobre a fotografia, acentuando a luta entre o/a fotógrafo/a e o aparelho, tal como essa relação desenvolve-se no domínio da filosofia da fotografia. 

Filosofia e estudo de caso II Estudo de caso com base nas análises e críticas de Vilém Flusser. Obras utilizadas: Ensaio sobre a fotografia de Vilém Flusser.

Encontro 4 

A imagem como resposta ao totalitarismo. 

Introdução aos conceitos artísticos elencados por Walter Benjamin para responder ao contexto histórico do nazismo, capitalismo e ao período de guerra iminente. 

Filosofia e estudo de caso III 

Estudo de caso com base nas análises de Walter Benjamin sobre a reprodutibilidade da imagem. 

Obras utilizadas:

Ensaios: Pequena história da fotografia e A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica, de Walter Benjamin. 

Encontro 5 

Fotografia e fascismo 

Investigar elementos encontrados em uma estética fascista, de acordo com Susan Sontag. 

Filosofia e estudo de caso IV 

Estudo de caso com as imagens fotográficas da fotógrafa Leni Riefenstahl.

Obras utilizadas: 

Ensaios: Fascinante fascismo, de Susan Sontag.

Encontro 6 

Fotografia e propaganda 

Análise da propaganda e suas finalidades dentro de um regime fascista.

Filosofia e estudo de caso V 

Paralelo entre imagens da 2ª guerra mundial e dias atuais. 

Obras utilizadas: Origens do Totalitarismo, de Hannah Arendt. Capítulo “O movimento totalitário; A propaganda totalitária”(p. 303 – 318). 

 

Encontro 7

Fotografias que encobrem a dor do outro 

O recorte de mundo pelo fotógrafo/a sob a visão de Susan Sontag. Os conceitos a serem explorados serão: fragmento, legenda e enquadramento. 

Filosofia e estudo de caso VI 

Estudo de caso colocando em prática conceitos propostos pela filósofa Susan Sontag. 

Obras utilizadas: Sobre fotografia. Ensaio: “Estados Unidos, visto em fotos, de um ângulo sombrio”(p. 20-32). 

Obras sugeridas: Diante da dor dos outros, Susan Sontag 

Encontro 8 

Fotografia na contemporaneidade e sua utilização para a guerra 

Análise de imagens para a criação de narrativas sobre quais vidas são passíveis de luto. 

Obras utilizadas: Quadros de guerra, ensaio: “Vida precária, vida passível de luto”, de Judith Butler. (p. 13 – 56) 

Obras sugeridas: Quadros de guerra, ensaio: “Tortura e a ética da fotografia: pensando com Susan Sontag”.(p. 99 – 150) 

Filosofia e estudo de caso VII 

Análise de imagens com base nos critérios de enquadramento de Butler e na criação de narrativas.

Roland Barthes

Professora

Mayã Fernandes é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). É crítica de arte, onde atuou durante o ano de 2018 e 2019 na Revista Desvio/RJ, e publicou mais de 30 críticas. Atua como parecerista ad hoc de revistas científicas nas áreas de filosofia, artes e letras. É fundadora da Oribê – editoração, formação, elaboração de material didático e consultoria em educação. É escritora ensaísta e atualmente é colunista da revista literária Ano I: Ensaio. Publicou diversos artigos e ensaios nas áreas de Filosofia, História da Arte e Filosofia da Fotografia.  Para conferir a produção bibliográfica da professora acesse http://www.linhasdefuga.com.br

Além de amável, acessível e participativa, a professora demonstrou conhecimento vivência profundos que ampliaram minha compreensão sobre temas de fronteira para o fazer com ética no mundo contemporâneo.

Tiago Rocha de Almeida

O curso atendeu minhas expectativas, pude adquirir novos conhecimentos e repensar um pouco o fazer fotográfico. Mayã foi uma excelente professora!

Henrique Bulhões

Investimento

R$ 560,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curso Básico de Fotografia – tarde | ON-LINE E AO VIVO | 05/03

Início: 05 de março de 2021
Horários
Sextas-feiras: das 15h às 17h (aulas teóricas + proposta de exercícios práticos) – Horário de Brasília
Total: 4 aulas
Duração: 2 semanas
Carga horária: 8h/aula

Nível de exigência: iniciante
Pré-requisitos: câmera própria com modo manual
Público alvo: todos que desejam entrar no mundo da fotografia e ter domínio da câmera fotográfica no modo manual.

O Curso Básico de Fotografia do Espaço f/508 é composto por aulas expositivas online via plataforma Zoom e propostas de exercícios, que visam ao domínio completo da técnica fotográfica e uso do modo manual da câmara, essencial para a construção de imagens. Aborda também conceitos importantes de composição e estruturação fotográfica. Os alunos contam ainda com uma análise de fotos pessoal e personalizada, que acontecerá aula a aula, por email (até 5 fotos por aula).

* O curso conta com apostila em .pdf

Programa do curso

Aula 1 
.Surgimento da fotografia;
.Princípio de formação da imagem numa câmara escura;
.Diferentes tipos de câmeras;
.Diafragma;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

Aula 2 
.Obturador;
.Uso do fotômetro;
.Sensibilidade (ISO);.
Temperatura de cor e balanceamento de branco;
.Conceitos básicos de composição;
.Explicação de exercício prático 

Aula 3
.Objetivas (distância focal);
.Macrofotografia;
.Uso do flash;
.Percepção da luz;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

Aula 4 
.Panning e zooming;
.O arquivo digital: compactação e formatos de arquivos;
.Orientação para aquisição de câmeras;
.Dicas para fotografar assuntos distintos;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

•O curso inclui certificado

•Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar

Professor

Fotógrafo fine art, Humberto Lemos tem foco na fotografia minimalista com influência oriental. Criou o conceito de Paisagens Imaginárias – atua como coordenador e professor no Espaço f/508 de Fotografia, em Lisboa. Fundou o Espaço f/508 de Cultura em Brasília, que, em 2020, completa 15 anos. Realizou a curadoria de diversas exposições e publicações virtuais, e desenvolveu projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e o Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007, e ministrou a matéria Fotografia como suporte para a arte contemporânea, na Pós Graduação f/508. Portfólios: @humbertolemos e www.humbertolemos.com

Há muito tempo que queria inscrever-me num curso de fotografia, mas o facto de ter de conjugar horários sempre me desmotivou. Neste curso encontrei o melhor dos dois mundos: não precisei de sair de casa e tive acesso a imensa informação interessante que me ensinou técnicas que há muito tentava usar. Além disso, em cada aula são nos dados exercícios que põem em prática aquilo que aprendemos. Adorei!

Lara Luís

Pessoalmente, tinha como objetivo do ano dedicar-me à fotografia que eu adoro mas que era aquele ser que fotografava no modo automático.
Nos tempos difíceis que vivemos, este curso permitiu que nem tudo fosse por água a baixo. Em poucas aulas fotografo em modo manual e até me orgulho de fotos que já consigo fazer.
O facto de ser possível ver e rever as aulas é excelente, pois é quando estamos a tentar concretizar os exercícios que surgem as dúvidas e lá vamos nós dar uma espreitadela.
Agradeço imenso à Raquel e ao Humberto pela dedicação, por transmitirem os seus saberes de uma forma genuína e pelas bases sólidas que dão aos vossos alunos.

Rita Ferreira

O curso Iniciação à Fotografia ministrado pelos fotógrafos Humberto Lemos e pela Raquel Pellicano é fantástico! O conteúdo das aulas é robusto, mas como  as aulas são didáticas, fica fácil aprender os conceitos e as técnicas.
Outrossim, a plataforma utilizada permite uma interação da turma com os professores e há a disponibilização do material utilizado na aula para os alunos revisitarem o conteúdo. Muitíssimo obrigado!

Felipe Ribeiro Cardoso

O curso foi maravilhoso, eu comecei do zero e aprendi muito com vocês. Todas as dúvidas que tive vocês conseguiram responder e me ajudar, os feedbacks das fotos também foram bons pra que eu tentasse de formas diferentes. Confesso que no início fiquei meio receosa por ser um curso online e eu nunca consegui ter muita disciplina, mas deu muito certo e eu consegui entender todo conteúdo e sair sem dúvidas. Foi um prazer e espero que nos encontremos em breve, obrigada.

Erika Danielle Peres

Investimento

R$ 350,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curso
Profissionalizante | ON-LINE E AO VIVO | 02/03

Início: 02 de março de 2021
Horários: terças e quintas, das 17h às 19h
Total: 32 aulas | 64 hrs/aula

Nível de exigência:  intermediário
Pré-requisitos: domínio de fotometria e equipamento fotográfico próprio
Público-alvo:  fotógrafos amadores com interesse em se especializar nos diversos segmentos da fotografia comercial.

O Curso Profissionalizante de Fotografia do f/508 visa a formação cultural, visual e técnica de quem procura essa prática como profissão, propiciando uma base crítica e analítica fundamental para a construção de imagens. Visando ampliar o horizonte de referências estéticas, as aulas aumentam o espectro cultural e técnico do aluno, oferecendo o aporte para a criação de uma maturidade imagetica. O curso será ministrado inteiramente online, com análise personalizada dos exercícios propostos e disponibilização das aulas gravadas para download.

O curso proporciona ainda uma imersão em diversas possíveis áreas de atuação comercial, com o intuito de formar um fotógrafo polivalente e autosuficiente. Aborda técnicas de gestão e tratamento de imagens, iluminação em estúdio, percepção da luz, direção de pessoas, fotografia de gastronomia, fotografia de still de produtos e natureza morta, fotografia de ambientes, retrato, moda, eventos e outros segmentos oriundos da fotografia comercial. O estudo oferece um panorama de possibilidades, além da base para criação de portfólio e orientação para contato com clientes em potencial e marketing pessoal.

Professores: Humberto Lemos e Raquel Pellicano + convidados

Fotógrafo fine art, Humberto Lemos tem foco na fotografia minimalista com influência oriental. Criou o conceito de Paisagens Imaginárias – atua como coordenador e professor no Espaço f/508 de Fotografia, em Lisboa. Fundou o Espaço f/508 de Cultura em Brasília, que, em 2020, completa 15 anos. Realizou a curadoria de diversas exposições e publicações virtuais, e desenvolveu projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e o Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007, e ministrou a matéria Fotografia como suporte para a arte contemporânea, na Pós Graduação f/508. Portfólios: @humbertolemos e www.humbertolemos.com

Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), Raquel Pellicano é fotógrafa e artista visual, com produção autoral e experimentações em linguagem fotográfica. Comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino e registros de viagens. Com 33 anos, é sócia do Espaço f/508, ministra cursos e oficinas e está à frente do estúdio fotográfico. Criou o programa do curso de pós graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação, que teve início em março de 2018. Assinou diversos editoriais de moda, com trabalhos publicados nas revistas Vogue Brasil, Trip, VIP, Playboy e VIP moda. Em 2012, realizou uma palestra sobre fotografia e Retrato à convite da Fnac. Em 2020 participou do podcast Filosofia de Bar, com Mayã Fernandes, e do projeto Coleção Particular, de entrevistas com Raisa Pina. É curadora convidada do terceiro ciclo do Projeto Baleia. Atua em Lisboa e na Europa, com temporadas no Brasil.

Módulo Técnico
Fotografia e geometria. Fotografia em preto e branco: enxergando em PB; o cinza médio. Dupla Exposição. Instante decisivo. Linguagem fotográfica. Uso da cor enquanto elemento de composição. Fotômetro, modos de medição, foco automático, tipos de arquivo. Macro com lente invertida. Flash dedicado: fotometria do flash, luz artificial, técnicas criativas. Tipos de cartões e sensores. Panorama histórico da fotografia. Landscape e longas exposições

Módulo Tratamento de Imagem
Gestão de arquivos, organização e classificação + tratamento de imagem com o software Adobe Lightroom. Apresentação das interfaces e suas ferramentas. Corte e correção de perspectiva. Fotografia P&B. Fotografia em cor. Distorção. Máscaras (filtro radial, filtro graduado, pincel de ajuste). Tipos de arquivo. Gerenciamento de Cores: Espaços de cor. Balanço de branco, exposição, contraste, saturação, HSL, tonalização dividida, detalhe. Limpeza da imagem: Remoção de sujeira do sensor. Preparação de arquivos para impressão fine art. Photoshop CC para retratos: tratamento de pele high end, suavização de textura, distorção da imagem, criação gráfica de dipticos e trípticos, dupla exposição no photoshop.

Módulo Composição Avançada
Leis da Gestalt (Unidade, segregação, unificação, continuidade, proximidade, semelhança, pregnância da forma); Conceituação e propriedades (Forma, Forma/Ponto, Forma/Linha, Forma/Volume); Categorias Conceituais (Harmonia/Ordem, Harmonia/Regularidade, Desarmonia,Equilíbrio/Simetria, Equilíbrio/Assimetria, Equilíbrio/Peso e direção, Contraste/Luz e tom, Contraste/Ritmo, Contraste/Passividade; Técnicas visuais: clareza, simplicidade, minimidade, complexidade, redundância, aleatoriedade, fragmentação, sutileza, distorção, profundidade, superficialidade, sequencialidade; O uso da cor e da luz.

Fotografia de Produtos
O módulo tem o intuito de oferecer aos alunos condições de aprender as nuances dos diversos tipos de trabalhos de still passíveis de serem realizados em estúdio: Varejo, Metal, Vidro, Jóia e Branco sobre branco.

Gestão de mídias sociais  para fotógrafos
Uso otimizado de mídias sociais – postagens patrocinadas, criação de público, entendimento de métricas, linguagem para mídias sociais/instagram.

Fotografia por Raquel Pellicano – Styling de Rachel Smidt, maquiagem de Talita Sá e modelo Caroline Santos

Fotografia de Gastronomia e Ambientes
As aulas visam proporcionar uma vivência teórica nas áreas da fotografia de gastronomia e de ambientes, além de fornecerem referências visuais e conhecimentos técnicos específicos inerentes a essas frentes da fotografia comercial, englobando informações sobre foodstyling, lentes apropriadas, iluminação e composição visual.

Fotografia Social
Os ramos da fotografia social, suas especificidades e mercado. Estilos na fotografia de casamentos, equipamentos e suas aplicações. O uso de flash. O papel da equipe na fotografia. Workflow: organização dos arquivos e particularidades do tratamento de imagem. Apresentação do produto final.

Fotojornalismo
Os primórdios do fotojornalismo. Suas manifestações e práticas de construção imagetica. O nascimento das agências. As novas mídias – o olhar e o corpo. Da fotorreportagem à fotografia documental.

Retrato e moda
Escolha da Locação. Sugestões de lentes adequadas. Tipos de trabalho: book, editorial de moda, catálogo, look-book, lifestyle, ensaios, retrato autoral, retrato corporativo e demais frentes. O conceito na fotografia de moda. Breve história da fotografia de retrato e moda. Análise de trabalhos de fotógrafos renomados. O papel do stylist (produção fashion e comercial). O papel do maquiador. Uso do fotômetro. Esquemas de iluminação em estúdio. Uso do flash de estúdio. Sincronização e fotocélula. Direção de modelos. Uso do rebatedor/bandeira. Fotografia externa. Luz dura/ luz suave. Buscando uma linguagem autoral. Diferenças entre fashion, comercial e conceitual. Orientações sobre mercado, diálogos com clientes e elaboração de orçamentos. Orientação para criação de portfólio online.

Nu fotográfico
O módulo é orientado na direção de um nu artístico e comercial, trazendo questões relevantes inerentes à frente de atuação. São apresentadas abordagens de desconstrução do olhar voltadas para um estudo da luz. Entendimento dos conceitos e diferenças entre o formalismo, o nu autoral e o nu comercial.

Inclui certificado
As aulas serão gravadas e disponibilizadas para download.


Investimento

R$ 2.240,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

O museu e os arquivos coloniais: Da extração de povos ao anti-imperialismo | ON-LINE E AO VIVO | 13/01

Início: 13 de janeiro de 2021
Horários: às quartas-feiras, das 10h às 12h30 (horário de Brasília)
Total: 04 aulas
Duração: 04 semanas
Carga horária: 12h/aula

Pré-requisitos: básico
Público alvo: estudantes, fotógrafos, artistas, pesquisadores e interessados no tema

Um dos temas mais presentes na mídia e na produção académica se refere ao processo de descolonização de acervos presentes em museus e arquivos coloniais. Para além de se tratar da devolução de pertences aos países que foram explorados durante o colonialismo, o tema mostra-se demasiado complexo e profundo, sendo por isso necessário atentar para os aspectos económicos, políticos e culturais que fazem parte da história da formação das instituições coloniais.

O museu, criado na Grécia para repouso das mentes, se modifica a partir do século XV com a necessidade do colecionismo na Europa e surgimento dos gabinetes de curiosidade dos séculos XVI e XVII, resultando nos museus como são hoje. É esse passado colonial do museu, que o torna um “armazém” acumulativo de bens roubados (ou extraídos) de culturas que estavam em outras jurisdições territoriais dominadas pela Europa, que passa a ser discutido e questionado até pelos próprios museus e instituições que abrigam acervos coloniais.

Por isso, faz-se necessário recapitular os caminhos e armadilhas do processo de colonização extrativo que deu origem aos museus e arquivos tais como se apresentam hoje. Esse caminho exploratório, de modo introdutório, acontecerá com apoio de textos contemporâneos importantes para o pensamento descolonizador, permitindo compreender conceitos essenciais (e muitas vezes mal utilizados) que alargarão o conhecimento e o pensar em torno da instituição e dos arquivos que foram enriquecidos tendo como base a extração económica e cultural de povos colonizados.

Programa

Serão enviados textos para leitura uma semana antes de cada encontro para, dessa forma, podermos discutir com profundidade os artigos contemporâneos que abordam os seguintes temas:

1. O colonialismo e a colonialidade: o poder, o ser, o saber e o ver.
O pensamento pós-colonial para compreensão da ideologia colonial presente no mundo e os temas negligenciados pelo paradigma modernidade-colonialidade.

2. O Museu e o arquivo colonial: a história da criação do museu e dos arquivos.
Compreensão histórica e crítica das funções sociais, culturais e políticas do museu, da Grécia até hoje.

3. A política do arquivo: Práticas e discussões sobre os arquivos coloniais.
O colecionismo colonial, os “arquivos do mal” (Derrida) e as imagens imperialistas (Azoullay): A fotografia como parte de acervos e como prática extrativa.

4. Trauma e Restituição: Pode o museu ser descolonizado?
Avaliação de processos de reparação e restituição em todo o Mundo.

Professora

Lorena Travassos é Doutorada em Ciências da Comunicação (NOVA, Lisboa), no ramo “Comunicação e Arte”, com especialidade em Fotografia. Mestre em Comunicação (UFPB, Brasil) e fotógrafa. Atualmente é professora de História e Técnicas Fotográficas na Universidade Lusófona, na licenciatura de Fotografia, e investigadora assistente no projeto Photo Impulse (financiado pela FCT-PTDC/COM-OUT/29608/2017). É investigadora integrada do ICNOVA e formadora em cursos livres de projetos fotográficos em Lisboa.

• O curso inclui certificado

• Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar


Investimento

R$ 350,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• 
Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Escrita, ansiedade e processo criativo | ON-LINE E AO VIVO | 02/12

Noite Estrelada sobre o Rhône, de Vincent van Gogh

Início: 02 de dezembro de 2020
Horário: às quartas, das 19h às 21h
Duração: 3 encontros
Carga horária: 6h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público alvo: escritores experientes ou inexperientes, profissionais de outras áreas que lidam com criação

Nesta oficina, vamos propor uma abordagem para a compreensão do processo de escrita a partir da forma como interagimos com o desconhecido, transitando entre a ordem e a desordem para chegar à criação.

A ideia é pensarmos a escrita como um processo dinâmico e complexo, cujo caráter por vezes caótico, embora possa gerar ansiedade se mal compreendido, é tratado como uma característica constituinte da criação; não apenas inevitável como também necessária – e até mesmo desejável. Partindo dessa premissa, trabalharemos teoricamente o papel da desordem no processo criativo como uma ferramenta de combate à ansiedade diante de uma tarefa de escrita. Veremos, também, a partir de atividades práticas, estratégias que ajudem o escritor a lidar melhor com a complexidade, a ambiguidade e a indeterminação, sem as quais não é possível criar.

Objetivos

Oferecer subsídios teóricos de diferentes campos do saber para uma compreensão transdisciplinar do processo criativo (processos criativos em geral, com enfoque na produção escrita);

Desenvolver estratégias emocionais para lidar com a ansiedade antes da e durante a criação;

Apresentar ferramentas concretas para vivenciar os diferentes estágios do processo de escrita, do “branco” ao texto final.

Programa do curso

– O escritor em seu ateliê: o mito romântico da genialidade

– A escrita como ofício: o artesanato do texto

– Traços de personalidade associados à criatividade

– O que nos ensina o Tao: ordem e desordem no processo criativo

– Caos e criação: entre o consciente e o inconsciente

– O acaso na criação: aprendendo a perder o controle

– Depois da tempestade: o que emerge do caos

– A criação como rede, a obra como inacabamento

– Criar é dar forma: estratégias para fazer o texto andar

– Onde chegamos quando não chegamos a lugar nenhum?

Professora

Carolina Zuppo Abed é escritora, professora e pesquisadora. Docente da Pós-Graduação em Formação de Escritores do Instituto Vera Cruz, é autora dos livros Tecle 2 para esquecer (Patuá, 2017), Menos o Mar (Quelônio, 2017) e Passatempoemas (Quelônio, 2020) e desenvolve pesquisa de doutorado sobre ensino de criação literária na Universidade de São Paulo.


Investimento

R$ 250,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Filosofia da Fotografia – Módulo I | ON-LINE E AO VIVO | 24/11

Imagem de capa: Raquel Pellicano

Início: 24 de novembro de 2020
Horário: às terças e sextas, das 15h às 18h
Total: 8 aulas, 24 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Todas as pessoas interessadas no tema



Ao longo da história da filosofia ocidental, a experiência da visão propiciou a filósofas e filósofos a formulação de teorias no âmbito da arte. Com o surgimento da fotografia, com a Revolução Industrial e os avanços tecnológicos, a arte e a fotografia entrelaçaram-se com questões metafísicas, éticas e políticas. O curso irá inserir os participantes na linguagem filosófica para a compreensão dos principais conceitos sobre a imagem fotográfica.

Programa

Encontro 1 

Introdução à filosofia da fotografia 

Introdução ao método filosófico e o surgimento da filosofia da fotografia. Obra indicada: Fotografia e história, de Boris Kossoy. 

Encontro 2 

A criação de conceitos na perspectiva de Roland Barthes 

Compreender o conceito de punctum e o conceito de câmera clara.

Filosofia e estudo de caso I 

Estudo de caso colocando em prática os conceitos assimilados na filosofia de Barthes. 

Obra utilizada: Câmera clara, de Roland Barthes. 

Encontro 3 

A relação entre o/a fotógrafo/a e o aparelho 

Estudo acerca teoria de Vilém Flusser sobre a fotografia, acentuando a luta entre o/a fotógrafo/a e o aparelho, tal como essa relação desenvolve-se no domínio da filosofia da fotografia. 

Filosofia e estudo de caso II Estudo de caso com base nas análises e críticas de Vilém Flusser. Obras utilizadas: Ensaio sobre a fotografia de Vilém Flusser.

Encontro 4 

A imagem como resposta ao totalitarismo. 

Introdução aos conceitos artísticos elencados por Walter Benjamin para responder ao contexto histórico do nazismo, capitalismo e ao período de guerra iminente. 

Filosofia e estudo de caso III 

Estudo de caso com base nas análises de Walter Benjamin sobre a reprodutibilidade da imagem. 

Obras utilizadas:

Ensaios: Pequena história da fotografia e A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica, de Walter Benjamin. 

Encontro 5 

Fotografia e fascismo 

Investigar elementos encontrados em uma estética fascista, de acordo com Susan Sontag. 

Filosofia e estudo de caso IV 

Estudo de caso com as imagens fotográficas da fotógrafa Leni Riefenstahl.

Obras utilizadas: 

Ensaios: Fascinante fascismo, de Susan Sontag.

Encontro 6 

Fotografia e propaganda 

Análise da propaganda e suas finalidades dentro de um regime fascista.

Filosofia e estudo de caso V 

Paralelo entre imagens da 2ª guerra mundial e dias atuais. 

Obras utilizadas: Origens do Totalitarismo, de Hannah Arendt. Capítulo “O movimento totalitário; A propaganda totalitária”(p. 303 – 318). 

 

Encontro 7

Fotografias que encobrem a dor do outro 

O recorte de mundo pelo fotógrafo/a sob a visão de Susan Sontag. Os conceitos a serem explorados serão: fragmento, legenda e enquadramento. 

Filosofia e estudo de caso VI 

Estudo de caso colocando em prática conceitos propostos pela filósofa Susan Sontag. 

Obras utilizadas: Sobre fotografia. Ensaio: “Estados Unidos, visto em fotos, de um ângulo sombrio”(p. 20-32). 

Obras sugeridas: Diante da dor dos outros, Susan Sontag 

Encontro 8 

Fotografia na contemporaneidade e sua utilização para a guerra 

Análise de imagens para a criação de narrativas sobre quais vidas são passíveis de luto. 

Obras utilizadas: Quadros de guerra, ensaio: “Vida precária, vida passível de luto”, de Judith Butler. (p. 13 – 56) 

Obras sugeridas: Quadros de guerra, ensaio: “Tortura e a ética da fotografia: pensando com Susan Sontag”.(p. 99 – 150) 

Filosofia e estudo de caso VII 

Análise de imagens com base nos critérios de enquadramento de Butler e na criação de narrativas.

Roland Barthes

Professora

Mayã Fernandes é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). É crítica de arte, onde atuou durante o ano de 2018 e 2019 na Revista Desvio/RJ, e publicou mais de 30 críticas. Atua como parecerista ad hoc de revistas científicas nas áreas de filosofia, artes e letras. É fundadora da Oribê – editoração, formação, elaboração de material didático e consultoria em educação. É escritora ensaísta e atualmente é colunista da revista literária Ano I: Ensaio. Publicou diversos artigos e ensaios nas áreas de Filosofia, História da Arte e Filosofia da Fotografia.  Para conferir a produção bibliográfica da professora acesse http://www.linhasdefuga.com.br

Além de amável, acessível e participativa, a professora demonstrou conhecimento vivência profundos que ampliaram minha compreensão sobre temas de fronteira para o fazer com ética no mundo contemporâneo.

Tiago Rocha de Almeida

O curso atendeu minhas expectativas, pude adquirir novos conhecimentos e repensar um pouco o fazer fotográfico. Mayã foi uma excelente professora!

Henrique Bulhões

Investimento

R$ 450,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curso Básico de Fotografia – tarde | ON-LINE E AO VIVO | 08/12

Início: 08 de dezembro de 2020
Horários
Terças e quintas: das 15h às 17h (aulas teóricas + proposta de exercícios práticos) – Horário de Brasília
Total: 4 aulas
Duração: 2 semanas
Carga horária: 8h/aula

Nível de exigência: iniciante
Pré-requisitos: câmera própria com modo manual
Público alvo: todos que desejam entrar no mundo da fotografia e ter domínio da câmera fotográfica no modo manual.

O Curso Básico de Fotografia do Espaço f/508 é composto por aulas expositivas online via plataforma Zoom e propostas de exercícios, que visam ao domínio completo da técnica fotográfica e uso do modo manual da câmara, essencial para a construção de imagens. Aborda também conceitos importantes de composição e estruturação fotográfica. Os alunos contam ainda com uma análise de fotos pessoal e personalizada, que acontecerá aula a aula, por email (até 5 fotos por aula).

* O curso conta com apostila em .pdf

Programa do curso

Aula 1 
.Surgimento da fotografia;
.Princípio de formação da imagem numa câmara escura;
.Diferentes tipos de câmeras;
.Diafragma;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

Aula 2 
.Obturador;
.Uso do fotômetro;
.Sensibilidade (ISO);.
Temperatura de cor e balanceamento de branco;
.Conceitos básicos de composição;
.Explicação de exercício prático 

Aula 3
.Objetivas (distância focal);
.Macrofotografia;
.Uso do flash;
.Percepção da luz;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

Aula 4 
.Panning e zooming;
.O arquivo digital: compactação e formatos de arquivos;
.Orientação para aquisição de câmeras;
.Dicas para fotografar assuntos distintos;
.Conceitos básicos de composição
.Explicação de exercício prático 

•O curso inclui certificado

•Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar

Professor

Fotógrafo fine art, Humberto Lemos tem foco na fotografia minimalista com influência oriental. Criou o conceito de Paisagens Imaginárias – atua como coordenador e professor no Espaço f/508 de Fotografia, em Lisboa. Fundou o Espaço f/508 de Cultura em Brasília, que, em 2020, completa 15 anos. Realizou a curadoria de diversas exposições e publicações virtuais, e desenvolveu projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e o Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007, e ministrou a matéria Fotografia como suporte para a arte contemporânea, na Pós Graduação f/508. Portfólios: @humbertolemos e www.humbertolemos.com

Há muito tempo que queria inscrever-me num curso de fotografia, mas o facto de ter de conjugar horários sempre me desmotivou. Neste curso encontrei o melhor dos dois mundos: não precisei de sair de casa e tive acesso a imensa informação interessante que me ensinou técnicas que há muito tentava usar. Além disso, em cada aula são nos dados exercícios que põem em prática aquilo que aprendemos. Adorei!

Lara Luís

Pessoalmente, tinha como objetivo do ano dedicar-me à fotografia que eu adoro mas que era aquele ser que fotografava no modo automático.
Nos tempos difíceis que vivemos, este curso permitiu que nem tudo fosse por água a baixo. Em poucas aulas fotografo em modo manual e até me orgulho de fotos que já consigo fazer.
O facto de ser possível ver e rever as aulas é excelente, pois é quando estamos a tentar concretizar os exercícios que surgem as dúvidas e lá vamos nós dar uma espreitadela.
Agradeço imenso à Raquel e ao Humberto pela dedicação, por transmitirem os seus saberes de uma forma genuína e pelas bases sólidas que dão aos vossos alunos.

Rita Ferreira

O curso Iniciação à Fotografia ministrado pelos fotógrafos Humberto Lemos e pela Raquel Pellicano é fantástico! O conteúdo das aulas é robusto, mas como  as aulas são didáticas, fica fácil aprender os conceitos e as técnicas.
Outrossim, a plataforma utilizada permite uma interação da turma com os professores e há a disponibilização do material utilizado na aula para os alunos revisitarem o conteúdo. Muitíssimo obrigado!

Felipe Ribeiro Cardoso

O curso foi maravilhoso, eu comecei do zero e aprendi muito com vocês. Todas as dúvidas que tive vocês conseguiram responder e me ajudar, os feedbacks das fotos também foram bons pra que eu tentasse de formas diferentes. Confesso que no início fiquei meio receosa por ser um curso online e eu nunca consegui ter muita disciplina, mas deu muito certo e eu consegui entender todo conteúdo e sair sem dúvidas. Foi um prazer e espero que nos encontremos em breve, obrigada.

Erika Danielle Peres

Investimento

R$ 225,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

História da arte em sete lições com Tio Virso | ON-LINE E AO VIVO | 04/02

Foto: A banana mais cara do mundo, obra de Maurizio Cattelan, presa a uma parede com fita adesiva, foi descascada e comida por um artista que visitava o stand da galeria Perrotin, na feira de arte contemporânea Art Basel, nos Estados Unidos.

Início: 04 de fevereiro de 2021
Horários: às sextas, das 19h às 21h (horário de Brasília)
Total: 07 aulas, 14 h/aula

Pré-requisitos: nenhum
Público alvo: o curso é aberto a todos que queiram conhecer a história da arte de forma leve, didática e descontraída. Pra tiozão, tiozinho e até pro tio do pavê.



Sejamos francos, a arte é mais útil das inutilidades, o mais necessário dos supérfluos. Obras de arte podem ser as expressões mais vívidas de uma região, de um povo ou de uma época. Quando dirigidas para a subjetividade, elas também falam muito sobre essa coisa fugaz, complicada e tristonha que é o indivíduo. A arte nos encanta, nos assusta, nos consola, nos choca, nos alegra e nos entristece – às vezes, ela faz tudo isso de uma vez só. Estudar a história da arte é puxar alguns dos fiozinhos mais interessantes que compõem essa tapeçaria que nós chamamos de humanidade.

O curso é uma maratona bem humorada de 7 aulas pelas tendências artísticas mais marcantes das Áfricas, das Américas, da Europa, da Ásia e da Oceania, mas não da Antártida, porque embora pinguins sejam bem legais, eles não são muito artísticos. O propósito não é se aprofundar em nenhuma corrente ou escola artística, muito menos se concentrar no conjunto da obra de um pequeno grupo de nomes consagrados. A ideia é propor um voo panorâmico, atentando para a importância das artes visuais enquanto expressão, experiência, ruptura e permanência humana.

•O curso inclui certificado

•Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar

Programa

Aula 1
O triunfo da tralha: as primeiras tradições artísticas
1.1 Quem é a Dona Arte?
1.2 Onde ela vive?
1.3 De onde ela veio?
1.4 De quem ela precisa?
1.5 Porque precisamos dela

Aula 2
Terra de mil artes: o patrimônio artístico africano
2.1 Uma herança negligenciada: a(s) arte(s) africana(s)
2.2 Egito e Núbia
2.3 Os impérios esquecidos
2.4 Os ladrões europeus
2.5 Uma incrível tapeçaria de tendências

Aula 3
A beleza inútil: o legado asiático-europeu
3.1 Os deuses querem uma pilha bem grande de tijolos: a(s) arte(s) mesopotâmica(s)
3.2 Grécia, Roma e uma sombra grande demais
3.3 Ninguém entende a Idade Média
3.4 Índia e China: gente é poeira, arte é eterna
3.5 Japão: um mundo à parte (mas não muito)

Aula 4
Enquanto isso, em outro planeta: tradições artísticas das Américas e da Oceania
4.1 Arte, beleza e mágica: quando não existe arte, mas tudo é arte
4.2 As grandes civilizações americanas
4.3 Caramba, os ladrões europeus de novo
4.4 Muitas ilhas de arte: a Oceania
4.5 Sim, você adivinhou: lá vem os ladrões europeus outra vez

Aula 5
Uma história da arte acadêmica: ascensão e queda do império da beleza
5.1 Italianos querendo se aparecer mudam para sempre a história da arte: o Renascimento
5.2 Eu quero é causar: barrocos e rococós
5.3 Briga de burguês: neoclássicos vs. românticos
5.4 Muito mais variado do que você pensa: as tendências artísticas do fim do XIX
5.5 A beleza amordaçada do academismo francês

Aula 6
Trocando seis por meia dúzia: entra em cena a arte moderna
6.1 Os diferentões: uma tendência inevitável na história da arte europeia
6.2 Abaixo a academia: as vanguardas europeias
6.3 Como a Segunda Guerra Mundial mudou a cena
6.4 O impacto dos modernismos fora da Europa
6.5 Acabaram-se os modernismos – ou não

Aula 7
Quando nada é arte, tudo é arte: a cena contemporânea
7.1 Agora arte é terra de ninguém: o reino (declarado) da subjetividade
7.2 Muito mais que só pintura e escultura: as linguagens da arte contemporânea
7.3 Arte é mais do que arte: arte é um sistema e um mercado
7.4 A diversidade da cena atual: quem está falando o quê?
7.5 Pra onde vamos daqui?

Professor

Vilson André Moreira Gonçalves, divulgador científico e administrador da página “História da Arte com o Tio Virso”, é graduado em Licenciatura em Artes Visuais pela UEPG e doutor em Comunicação e Linguagens pela UTP. Desde 2008 trabalha como arte-educador na educação básica e no ensino superior, dedicando-se desde 2019 à democratização do conhecimento científico em história da arte nas redes sociais.
Siga o tio Virso:
https://www.instagram.com/tiovirso
https://www.facebook.com/tiovirso


Investimento

R$ 420,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• 
Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Bate-papo gratuito: Arte, artivismo e pandemia | ONLINE E AO VIVO | 27/04

Guerrilla Girls

Data: 27 de abril de 2020
Horários: segunda-feira, às 18h – Horário de Brasília

Público-alvo: artistas e entusiastas, curadorxs de arte, comunicadorxs, designers, arquitetos, museólogos e estudantes

Inscrições

Clique aqui para se inscrever.

. O bate-papo é gratuito e será realizado através da plataforma Zoom.
. Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Programa

No dia 27 de abril, às 22h (horário de Lisboa), o f/508 Lisboa e o f/508 Brasília convidam a todos para participação na roda aberta de conversa “Arte, artivismo e pandemia”, onde Camilla Ceylão (comunicadora de causas e entusiasta) e Renata Azevedo Moreira (pesquisadora e curadora de arte) contam com a mediação de Monica Nassar (artista e sócia administradora do f/508) para um debate sobre as formas que o artivismo pode tomar em tempos de coronavírus, discutir as contribuições sociais do engajamento político da arte e de que formas a arte nos ajuda a enxergar o mundo de maneira mais crítica.


Em seus ensaios sobre Arte Relacional, Nicolas Bourriaud coloca, como uma das grandes contribuições da arte contemporânea, a perspectiva da obra de arte como agregadora e do museu como lugar de interação. Existe cumplicidade nos olhares que se doam à compreensão da obra aberta e o ato de se compartilhar o mesmo espaço/tempo se reverbera em memória restrita àqueles que puderam se fazer presentes. 

A contemporaneidade nos introduz mais um celeuma no mundo da arte: o artista, despido e liberto da técnica, que (ainda no caráter relacional) assume o compromisso com o engajamento coletivo, a complexidade das participações sociais e seus confrontos com forças governamentais e corporativas, e, na década de 60, no Brasil, autoritarismo. 

O termo “arte ativista” foi criado pelo coletivo norte americano Art Ensemble” em 1996, utilizado para definir artistas que se utilizavam de tecnologias e mídias diversas para desenvolver contribuições sociais. Mais tarde, em 2003, Juliana Monachesi publica um artigo na Folha de São Paulo chamado “A explosão do A(r)tivismo”, citando Cildo Meireles, Helio Oiticica e outros artistas. 

O aspecto relacional da arte, nesse momento, depende diametralmente dos dispositivos de comunicação. Não passa despercebida a profusão da arte politicamente engajada nos anos 90, contígua a popularização da nossa tão conhecida (e talvez mais necessária que nunca) internet. 

O ano é 2000 e esse vai ser o meu ano 20. Uma pandemia continua a se alastrar no mundo. Estamos lidando com a interdição dos pontos de encontro sociais, os famosos “nós” urbanos, e dependendo ainda mais da formatação virtual das relações. O presente carrega consigo uma série de incertezas. Estamos sem prazos para soluções e muito menos para o fim. O cenário pode ser desanimador para aqueles que ainda não perceberam que estamos moldando o que vem a seguir. Há uma latente necessidade de adaptação do “fazer”. Nós, artistas, estamos nos deparando, ainda mais enraizados na rede de computadores interligados, com a possibilidade de formatarmos os novos espaços de arte, novos engajamentos, novas participações sociais. 

HOUSTON, TX – DECEMBER 16: Conceptual artist Nadezhda Tolokonnikova (C) of Pussy Riot performs onstage during Day for Night festival on December 16, 2017 in Houston, Texas. (Photo by Rick Kern/WireImage)

Participantes

Renata Azevedo Moreira é jornalista, pesquisadora e curadora de arte. Doutoranda em Comunicação pela Universidade de Montréal, Renata estuda o diálogo estabelecido entre o gesto curatorial e a obra de arte especialmente no caso das mídias digitais. Em sua visão, o projeto artístico torna-se obra a partir das relações que estabelece com sua exposição, e a obra de arte é mais bem compreendida como um processo construído ao longo do tempo do que como um objeto singular e fixo. Além dos textos acadêmicos, Renata publica resenhas de exposições em sites e revistas de arte canadenses, como Baronmag.com e Esse Arts+opinions, participando também de comitês de programação e conselhos de administração dos centros de artistas Skol e Studio XX em Montréal. Atualmente, ela trabalha como coordenadora de comunicação e programação paralela da galeria Arts Visuels Émergents (galerieave.com).
Seu artivismo se manifesta principalmente na orientação feminista e queer de suas intervenções artísticas. Na exposição coletiva Femynynytees, realizada em 2018 em Montréal, ela convidou artistas a repensarem o que significa ser ou ter um corpo feminino em um contexto em que o sexo biológico não determina mais o gênero de uma pessoa. No mesmo ano, Renata coordenou a programação do festival feminista de novas mídias HTMlles, também em Montréal, com uma exposição coletiva na temática pós movimento #metoo chamada Beyond the Hashtag: Failures and Becomings. Em épocas de confinamento, Renata tenta manter a sanidade mental com práticas diárias de ioga e tarô entre uma página e outra da redação de sua tese – mas ela também tenta aceitar que está tudo bem não ser tão produtiva assim neste momento.

Camilla Ceylão é feminista, comunicadora de causas e entusiasta da arte e cultura. Sua trajetória profissional é diversa e inclui experiência em diferentes áreas e em todos os setores, incluindo governo, empresas e organizações da sociedade civil.
A paixão por arte e cultura a acompanha desde cedo, assim como a atuação guiada pela defesa da justiça social e dos direitos humanos. Atualmente ela trabalha com comunicação de causas em uma OSC, a Nossa Causa, e é responsável pelo marketing de uma agência movida por causas sociais, a BeCause. 
Camilla descobriu o termo artivismo quando um artista a identificou como “artivista” após ouvir sua apresentação. Desde então, ela passou entender melhor a conexão entre seu trabalho e seu hobbies – entre comunicação, política e arte. 
Ela ainda não se considera uma artivista, mas se sente lisonjeada por ter sido reconhecida como tal.

Mediadora

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retorna para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participou pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”. 

Oficina de Bordado em Fotografia | ON-LINE E AO VIVO | 06/02

Datas: 06 de fevereiro de 2021
Horário: sábado, das 15h às 17h (Horário de Brasília)
Carga horária: 02hrs/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: ver material necessário
Público-alvo: interessados em processos artesanais, apropriação e intervenção em fotografias

*As aulas serão transmitidas através do aplicativo Zoom

A oficina tem por objetivo a união de bordado livre e espontâneo e fotografia impressa em papel, para a criação de novas possibilidades de expressão artística e ressignificação de conceitos imagéticos, proporcionando ao aluno a oportunidade de elaboração de uma linguagem poética autoral.

Por meio dessa abordagem, é possível resgatar os fios da memória, reencontrando na imensidão interna de cada um a amorosidade, elemento transformador para o crescimento pessoal e coletivo.

Professora

Regina Corrêa vem desenvolvendo projetos na área de fotografia, especialmente voltados para questionamentos de identidade e memória, buscando para isso apropriações de imagens entre outras construções de imagens.
Formada em Letras em 1983, e em Artes Plásticas pela Universidade de Brasilia – UnB, desenvolveu seu projeto final com o trabalho Memórias de Infância, instalação exposta na CAL – Casa da Cultura da América Latina, em 2002. Após um longo período, voltou a buscar novos desafios na área de fotografia. Em 2016, apresentou trabalhos em Havana, no Noviembre Fotográfico, no Panorama f/508 de Fotografia, idealizado pela Fototeca de Cuba. Participou da exposição Onde Anda a Onda 2016, no Museu da República, Brasília. Atualmente expõe trabalhos na Galeria do Espaço f/508 e no Quintal Café. Participa de grupos de estudos de fotografia, onde prevaleça um aprofundamento conceitual para o desenvolvimento de linguagens autorais.

Material

-tesoura grande e pequena;

-fita crepe ou durex

-régua, estilete, lápis e borracha

-um match (suporte para corte – opcional)

-2 fotos (retratos antigos ou recentes) PB, tamanho 10×15, em papel de gramatura 120 ou fotográfico fosco

-agulhas nº 7 ou 9 (mais grossa);

-linhas de meadas ou de novelo para bordar colorida ou de uma só cor(conforme o gosto do aluno)

-base de EVA de 10x10cm com 1cm de espessura.

•O curso inclui certificado

•Todas as aulas online do f/508 são gravadas e fornecidas para que o aluno possa revisitá-las quantas vezes desejar


Investimento

R$ 95,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária pela conta ou pela chave pix: 10.176.681/0001-05
• Cielo [em até 12x sem juros]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.