Voucher Apoie a Cultura, apoie o f/508


Carta aberta

Há 15 anos, um fotógrafo carioca subiu as escadas do Espaço Cultural Renato Russo, em Brasília. Recém-chegado na cidade, procurava pessoas com o mesmo interesse e paixão: fotografia e arte. Nascia ali, no dia 05 de agosto de 2005, um espaço de afeto, de descobertas, de conhecimento, o Espaço f/508 de Cultura.

Sem nenhum apoio governamental, se fez crescer, de forma independente, com a parceria de seus professores e a confiança de mais de 9000 alunos, que transitaram por seus corredores. Fotografia, arte, literatura, filosofia e cinema, juntam-se em uma simbiose com o café, a lojinha, a galeria, em um espaço de convivência, troca e crescimento.

Hoje, durante o processo de abertura de seu braço de atuação em Lisboa, o mundo se vê surpreso com o advento COVID-19, obrigando todos a buscarem fazer desse limão, uma limonada. Em menos de uma semana da declaração do estado de emergência, o f/508 reuniu-se com todos os seus professores e parceiros e conseguiu lançar um pacote de cursos on-line; oficinas artesanais, cultura africana, pensamento crítico e cursos técnicos fazem parte deste cardápio.

Porém… Nosso espaço físico continua fechado, sem previsão de retorno e, pela primeira vez, com real risco de desaparecer. Pensando nessas questões, resolvemos lançar um segundo produto pós-pandemia: o voucher EU APOIO A CULTURA | EU APOIO O F/508Nossa proposta de ajuda vem, naturalmente, com uma contrapartida – oferecemos um voucher para vários produtos presenciais do f/508 (cursos, workshops, vivências, ensaios fotográficos individuais, ensaios fotográficos familiares, retratos em estúdio…), para ser usado até o final de 2022.

Você compra hoje, no valor que desejar, e, ao resgatá-lo, oferecemos o dobro em produtos: isso significa que, se comprar um voucher de R$300, ao trocá-lo, você terá direito a R$600 em serviços diversos. Nesse momento, queremos MUITO sobreviver, e, para isso, precisamos ter um fluxo de caixa (que atualmente reduziu drasticamente). Somos infinitamente gratos por todos que nos apoiaram, frequentaram, indicaram, enfim, viveram a experiência f/508 até hoje.

E agora, contamos com vocês mais uma vez para continuar existindo.Para colaborar, envie um email para f508@f508.com.br com o assunto “Voucher apoio”.

Um abraço,

Humberto, Raquel, Monica e Camilla

Como desenhar de forma errada | ON-LINE E AO VIVO | 30/05

Imagem do livro Como desenhar de forma errada, de Peter Jenny

Início: 30 de maio de 2020
Horário: sábados, 10h às 12h (Horário de Brasília)
Total: 8 aulas, 16 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Artistas, designers, arquitetos, estudantes e interessados em geral, iniciantes ou intermediários em
desenho.



Como desenhar de forma propositalmente errada? O curso é estruturado a partir de exercícios que, provocando estranhamentos, estimulam a desconstrução de imagens pré-determinadas e normas convencionais de desenho. Os exercícios, baseados no livro “Como desenhar de forma errada”, de Peter Jenny, vão do abandono da perspectiva à deformação de figuras, da descontextualização de objetos à produção de retratos não realistas. Assim, procuramos romper com o conceito do erro, formando indivíduos capazes de criar uma linguagem gráfica autônoma e original.

Programa

  1. O você e o eu, o eu e o nós, o eu e o mundo
    As partes e o todo: exercícios com álbum de fotos de família (fotografias de parentes, amigos e colegas, registros de viagem, com paisagens de vários lugares ao redor do globo…), com o ambiente real no qual os objetos (álbum, fotografias, etc) estão inseridos.
  2. O igual e o diferente: o objeto e o rosto, o estático e o movimento, o paradoxo e o lógico
    Exercícios de abstração do “normal” (identificar e desenhar formas antropomórficas em objetos do cotidiano, representar com desenho movimento, criar “miragens” através do desenho de observação).
  3. O certo e o errado: o adulto e o infantil
    “O que é certo é uma questão de adequação”: exercícios de criação apesar de convenções do desenho, como perspectiva, ordem, etc. O desenho está para o esquema infantil, indeciso, hesitante, assim como a fotografia está para o esquema adulto, naturalista.
  4. O sonho e a realidade
    Exercícios a partir da busca em referenciais oníricos de possibilidades de representação e criação por meio do desenho. Nos sonhos, aquilo que é chamado de normal se diferencia daquilo que é chamado de anormal de uma forma insignificante.
  5. A imagem e o nome
    Exercícios de desenho com a palavra: como relacionar as imagens que produzimos com as palavras que escolhemos para nomeá-las?
  6. A banalidade e a criatividade
    “A banalidade e a criatividade são formas de dar valor que podemos anular, de um jeito ou de outro.” Exercícios de ressignificação de imagens e objetos dependendo do seu contexto.
  7. A vergonha e a falta de vergonha
    “Entre os loucos, os desenhos são produzidos justamente devido à falta de vergonha”: exercícios como falsificação de fotos e produção de autorretratos dentro dos padrões de retratos importantes da história da arte.
  8. Discussão dos trabalhos realizados ao longo do curso

Professora

Mariana Destro é artista visual e designer. Vive e trabalha em Brasília. Graduada em Artes Visuais pela Universidade de Brasília (UnB), integrou a publicação Pictoria — The Best Contemporary Illustrators Worldwide (Crooks Press), em 2018. Faz parte da plataforma de arte Piscina desde 2015. Foi selecionada para as coletivas AIREZ 2018 e 2017 (PR), sendo a última integrante da Bienal Internacional de Curitiba. Realizou a exposição individual Jardim, com curadoria de Marília Panitz, no deCurators (2018). Participou das mostras coletivas Curare, na Galeria Casa (DF), Festivau de C4nn3$, na Lona Galeria (SP), Palavra, animal não doméstico, no Espaço Piloto (DF), O Lado Côncavo, na CAL (DF), ONDEANDAAONDA, no Espaço Cultural 508 Sul (DF), Fuga Movimento #3, no Atelier Valéria Pena-Costa, entre outras. Em novembro de 2018 fez residência na Casa Voa (RJ), onde apresentou a série Monstera deliciosa. Entre dezembro de 2018 e março de 2019 realizou o ciclo Olho Selvagem no deCurators. Foi curadora de Fruto Proibido, na galeria A Pilastra (2019), e de FRANK, exposição individual de Bia Leite no deCurators (2019).


Investimento

R$ 300,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária [10% de desconto]

• Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Filosofia da arte | ON-LINE E AO VIVO | 23/06

Imagem de capa: Wassily Kandinsky, Composição VIII, Museu Solomon R. Guggenheim. 1923

Início: 23 de junho de 2020
Horários: terças e sextas, 15h às 18h (Horário de Brasília)
Total: 9 aulas, 27 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes das artes visuais, filósofos, artistas e interessados no tema.

*O curso será transmitido através da plataforma gratuita Zoom

O curso visa analisar como acontece o entrelaçamento da Filosofia com a Arte, partindo dos primórdios da filosofia ocidental. É possível falar em uma essência da Arte? O artista produz a partir de objetos sensíveis ou consegue capturar a sua essência no inteligível? Ao longo da história da arte, diversos filósofos e artistas debruçaram-se sobre essas questões. No que tange à filosofia, uma investigação sobre a arte assume problemáticas éticas, epistemológicas e ontológicas. Para compreender o conceito em sua completude, serão abordados textos filosóficos, reconstruindo, por meio da intertextualidade, a arte na tradição filosófica. Evidentemente, não se trata de uma abordagem exaustiva das vertentes na filosofia ocidental, mas sim de uma mirada problematizadora.

Programa

Unidade 1: Filosofia, ética e ontologia.
1. Introdução à filosofia;
2. Qual o perigo de um artista na cidade ideal? – A República de Platão;
3. Sobre o valor da Arte: retórica e poética – A Poética de Aristóteles;
4. A salvação da Arte – Neoplatonismo de Plotino;
5. Metafísica da Arte e o Cristianismo – influências da arte bizantina e a arte como um caminho para chegar a Deus – Agostinho e Tomás de Aquino.

Unidade 2: A subjetividade da arte 
1. O Belo, o Sublime e a Arte – Kant;
2. O Belo, o Sublime e a Arte – Kant;

3.A Arte e o idealismo Alemão – Hegel;
4. A Arte e o idealismo Alemão – Hegel;
5. O apolíneo e o dionisíaco – Friedrich Nietzsche;
6. O apolíneo e o dionisíaco – Friedrich Nietzsche;

Unidade 3: Interioridade e seus reflexos na arte moderna
1. Arte moderna e o rompimento com a mimese;
2. A Arte como expressão inteligível – Abstracionismo de Wassily Kandinsky;
3. A Arte e a liberdade do artista.

Rothko, No. 210/No. 211 (Orange), 1960

Professora

Mayã Fernandes é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). Publicou vários artigos nas áreas de filosofia antiga, estética e ensino de filosofia. Investiga a teoria do belo em Plotino e sua relação com a arte moderna. É Membro do Projeto Das Deusas: gênero, arte e filosofia. 

Sou aprendiz… eterna aprendiz da arte imagética. Ter a professora Mayã como condutora do nosso despertar para o conhecimento filosófico no mundo das artes foi uma experiência construtiva e transformadora em minha forma de pensar fotografia. Vida longa ao f/508!

Nityama Macrini

Investimento

R$ 500,00 (até o início do curso)

. Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
. Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

  • .À vista: dinheiro, cheque, transferência bancária [10% de desconto]
  • .Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Bordado em Fotografia | ON-LINE E AO VIVO | 04/07

Datas: 04 de julho de 2020
Horário: sábado, de 15h às 17h (Horário de Brasília)
Carga horária: 02hrs/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: ver material necessário
Público-alvo: interessados em processos artesanais, apropriação e intervenção em fotografias

*As aulas serão transmitidas através do aplicativo Zoom

A oficina tem por objetivo a união de bordado livre e espontâneo e fotografia impressa em papel, para a criação de novas possibilidades de expressão artística e ressignificação de conceitos imagéticos, proporcionando ao aluno a oportunidade de elaboração de uma linguagem poética autoral.

Por meio dessa abordagem, é possível resgatar os fios da memória, reencontrando na imensidão interna de cada um a amorosidade, elemento transformador para o crescimento pessoal e coletivo.

Professora

Regina Corrêa vem desenvolvendo projetos na área de fotografia, especialmente voltados para questionamentos de identidade e memória, buscando para isso apropriações de imagens entre outras construções de imagens.
Formada em Letras em 1983, e em Artes Plásticas pela Universidade de Brasilia – UnB, desenvolveu seu projeto final com o trabalho Memórias de Infância, instalação exposta na CAL – Casa da Cultura da América Latina, em 2002. Após um longo período, voltou a buscar novos desafios na área de fotografia. Em 2016, apresentou trabalhos em Havana, no Noviembre Fotográfico, no Panorama f/508 de Fotografia, idealizado pela Fototeca de Cuba.
Participou da exposição Onde Anda a Onda 2016, no Museu da República, Brasília.
Atualmente expõe trabalhos na Galeria do Espaço f/508 e no Quintal Café. Participa de grupos de estudos de fotografia, onde prevaleça um aprofundamento conceitual para o desenvolvimento de linguagens autorais.

Material

  • tesoura grande e pequena;
  • fita crepe ou durex
  • régua, estilete, lápis e borracha
  • um match (suporte para corte – opcional)
  • 2 fotos (retratos antigos ou recentes) PB, tamanho 10×15, em papel de gramatura 120 ou fotográfico fosco
  • agulhas nº 7 ou 9 (mais grossa);
  • linhas de meadas ou de novelo para bordar colorida ou de uma só cor(conforme o gosto do aluno)
  • base de EVA de 10x10cm com 1cm de espessura.


Investimento

R$ 85,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária [10% de desconto]

• Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Arquitetura da Exposição: expografia e cenografia

foto de capa: PQ 2019 de Monica Nassar

Início: a definir
Horários: a definir
Total: 5 aulas
Carga horária: 10 h/aula

Nível de exigência: intermediário
Pré-requisitos: ter um projeto fotográfico a ser trabalhado (próprio ou de outro artista, com autorização)
Público-alvo: fotógrafos, arquitetos, designers, artistas e entusiastas em realizar exposições

O curso de Arquitetura da Exposição do Espaço f/508 é composto por aulas expositivas ao vivo via plataforma Zoom e acompanhamento de propostas de projeto via email.

Talvez, a extraordinária e incontestável comunicação entre artista e observador seja o encontro entre “visitante e conjunto expositivo” proporcionado por uma exposição.
Um projeto expográfico, ou museográfico, resulta de uma soma de esforços multidisciplinares e da capacidade dessa equipe de traduzir uma narrativa em intermediações sensoriais.
Esse curso abre o debate da participação do artista na construção do diálogo do seu trabalho, agora aberto para uma discussão pública, e interpreta o seu envolvimento a partir das etapas de projeto, aspectos críticos e históricos, e estudos de caso dentro da disciplina do tratamento de exibições de arte.

PQ 2019 – foto de Monica Nassar

Programa

1. Apresentação do curso e introdução a expografia.

O que é expografia? O que é um museu e qual a sua relevância social? Porquê estudar expografia?
Atividade para casa: O aluno deverá escolher um projeto de sua autoria para desenvolver uma exposição e levar na próxima aula. 

2. a) O que é lugar? Abordaremos os conceitos de lugar dentro dos estudos da geografia poética, de modo a entendermos a relação entre arte e o espaço que a abriga. 
b) O cubo branco X caixa preta: Um estudo sobre espaços expositivos e a sua interferência na curadoria das obras
Atividade para casa: Escolher um material para nortear o projeto expográfico e levar um estudo sobre as suas propriedades e uma amostra física na próxima aula.

Exposição do Brasil – PQ 2019

3 e 4. O projeto expográfico:

  • antes. Nesta etapa, abordaremos estudos necessários para a montagem e desenvolvimento de uma exposição que vêm antes dos desenhos técnicos de projeto: orçamentos, cronogramas, conceitos, etc. Atividade para casa: Estudo preliminar de projeto. 
  • durante. Processos envolvidos no desenho de uma exposição: rotas de visitantes, arte gráfica, sentidos, técnicas de desenhos, suportes….)
  • depois. Depois que a sua exposição está pronta, ela ainda precisa de outros elementos que garantam a sua sustentabilidade. Temos sempre que pensar nos visitantes e em como eles vão se relacionar com o espaço expositivo oferecido. Aqui falaremos sobre como despertar o interesse dos visitantes e manter a exposição ativa dentro do cronograma proposto. Atividade para casa: Desenvolvimento de projeto.

5. Apresentação de projetos

PQ 2019 – foto de Monica Nassar

Professora

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retorna para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participa pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”. 

Expografia de Monica Nassar


Investimento

R$ 375,00 (até a data do curso )

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

  • À vista: transferência bancária [10% de desconto]
  • Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

O que pode a imagem:
linguagens e semiótica

Início: a definir
Tem interesse em saber da próxima turma? Mande um email para cursof508@gmail.com

Total:  4 aulas
Carga horária: 8 h/aula

Requisitos: possuir câmera fotográfica.

O curso “O que pode a imagem: linguagens e semiótica”, tem como objetivo produzir inquietações e debates acerca da atual produção imagética contemporânea, provocando questionamentos inerentes à arte. O que pode a estrutura conceitual vs. a estética da imagem? Tendo como base a leitura teórica de Pierce, Medina propõe uma investigação dos signos e conceitos da imagem intertextual. Também serão realizadas atividades práticas relacionadas às teorias imagéticas de Jakobson, Barthes, Sontag, Sartre Mircea Eliade e Bourdieu.

Programa

.Elementos de semiótica e de noções de autor e de autoria nos trabalhos artísticos
.Imagem e imaginário
.Processos criativos e o uso de referências (intertextualidade)
.Potencialização da metáfora e da metonímia nas artes
.”Trans-criação” intersemiótica
.Elementos de adaptação e mudança de mídia
.Exercícios de crítica

Professor

Doutorando em Teoria Literária e Estudos Literários Comparados na Universidade de Brasília, Roberto Medina publicou artigos em revistas científicas nacionais e internacionais. Escritor e professor de escrita criativa, ministra diversos cursos de pós-graduação. Atua com o foco em literatura brasileira, poesia, contos e história da arte, poéticas visuais, teoria literária e adaptações para cinema e teatro. Sua pesquisa abrange questões relacionadas a linguagem poética, às obras de Wilhelm Dilthey e Dostoievski, além dos projetos estéticos e ideológicos de Manoel de Barros, Machado de Assis e Jorge Luís Borges.


MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

  • .À vista: dinheiro, cheque, transferência bancária [10% de desconto]
  • .Cartão de débito [3% de desconto]
  • .Cartão de crédito [presencial – valor integral em até 4x]
  • .Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Oficina de
GIF Art

Início: a definir

Tem interesse em saber da próxima turma? Mande um email para cursof508@gmail.com

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: celular com aplicativos instalados
Público-alvo: interessados e curiosos em arte digital

Uma oficina pra discutirmos o que é um GIF, de onde veio, como surgiu, pra que serve e como ele pode ser usado em uma produção artística.A partir de algumas referências, tanto da técnica quando da beleza por trás desse formato de imagem, vamos poder experimentar algumas ferramentas e formas de criar um GIF com nossas próprias mãos.

Professor

Jovem profissional criativo, Dario é produtor cultural e artista plástico. Por três anos, foi Diretor de Whatever na Perestroika de Brasilia, uma escola livre onde coordenou cursos de liderança, futurismo, comunicação, criatividade e gestão pública. Formado em Comunicação Social pela UnB com uma monografia bem teórica sobre Glitch Art, também já trabalhou como designer gráfico, mediador e consultor de comunicação. Além da sua pesquisa pessoal focada em apropriação de imagens e gif art, faz parte do Coletivo Cinco Agosto e já participou de cinco exposições coletivas e uma residência artística.



MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

  • .À vista: dinheiro, transferência bancária
  • .Cartão de débito
  • .Cartão de crédito [presencial]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curadoria: história,
práxis e produção

Início: 04 de julho de 2019 (quinta-feira)

Horários: terças e quintas, das 19h às 21h
Total: 6 aulas

Duração: 3 semanas
Carga horária: 12h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público alvo: artistas visuais, artistas plásticos, fotógrafos, historiadores da arte e afins, futuros curadoras e curadores. Será bem-vindo quem deseja conhecer mais sobre esta área profissional da arte.

O curso divide-se nos 2 módulos de História e Práxis, nos quais teremos abordagens que perpassam pela história da curadoria, processo de pesquisa e concepção da ideia, tipologias, escolha de temáticas, análise crítica de produções artísticas, modelos de expografia, espaço expositivo, interatividade e atualizações.

Professora

Sissa Aneleh é, atualmente, professora-pesquisadora da Universidade Católica de Brasília. Doutora e Mestra em Artes com pesquisas em História da Arte e Fotografia brasileiras na linha teórica de Teoria, Crítica e História da Arte. Pesquisadora de Mulheres Artistas e Arte Brasileira. Foi docente na Universidade de Brasília nos cursos de História da Arte e Artes Plásticas, ministrando as disciplinas: Curadoria, História da Arte (vários períodos), Arte Brasileira, Artes Visuais Moderna e Contemporânea e disciplinas de Teoria e Crítica de Arte.

Programa do curso

Módulo História

Aula 1 – Breve história da curadoria. – História das exposições. – Conceitos e teorias da Curadoria. – Museus, galerias e institutos de arte. – Acervos, coleções e colecionadores. – Prática da curadoria no Brasil e no mundo.

Módulo Práxis

Aula 2 – O trabalho da curadoria. – O perfil do/da curador/a. – Funções do curador, especialidades e formação. – Caminhos da pesquisa em arte e outros assuntos. – Direção e equipe curatorial. – Mercado de Arte. – A relação entre curadores e artistas.

Aula 3 – As tipologias e modelos de exposição. – Modelos clássico e contemporâneo. – Limitações da idéia do espaço e expansões do cubo branco. – Processo de pesquisa e concepção da ideia da exposição. – Temáticas. – Exemplos de exposição. – Exercícios de elaboração da idéia e tema da exposição.

Aula 4 – Material textual das exposições: linguagem, textos críticos e informativos. – O texto curatorial. – Produção de textos e tipos de apresentação. – Catálogos e outros materiais/produtos. – Exercícios de escrita de texto curatorial.

Aula 5 – Noções básicas de desenho de exposição. – Designers da exposição. – Tipos de ambientes. – Comunicação visual. – Acessibilidade: desenho inclusivo ou universal. – Exercício de temas e tipologia da exposição.

Aula 6 – Formação de público, educativo, monitoria e ações. – Exposição de conteúdo. – A exposição educativa: material didático, cursos e oficinas. – Comunicação interna e externa. – Exercício: estudo de adequação de material didático.


Investimento

1º lote: 3x de R$206,66 (R$ 620,00 – até o início do curso ou enquanto houver vaga)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Tem interesse no curso? Entre em contato pelo e-mail cursos@f508.com.br

Imagens dessa página fizeram parte da exposição ELLES: Mulheres artistas na coleção do Centro Pompidou, Paris, 2009.

Formas de pagamento

  • .À vista: dinheiro, cheque, transferência bancária [5% de desconto]
  • .Cartão de débito [3% de desconto]
  • .Cartão de crédito [presencial – valor integral em até 3x]
  • .Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Fotografia, arte e colecionismo

Início: a definir
Horários: a definir
Total: 4 aulas
Carga horária: 08 h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Artistas, fotógrafos e demais interessados no tema.

Em distintos momentos da história os territórios da arte e da fotografia já estiveram próximos e distantes, esses contatos produzem atritos mas também novos entendimentos sobre a imagem técnica e a sua expressão estética. Nestes encontros são apresentados trabalhos e autores que contribuíram para o pensamento crítico da fotografia como arte e da arte como fotografia, e a importância destes movimentos para o colecionismo. O curso aborda aspectos teóricos e também propõe uma prática a partir dos conhecimentos adquiridos nas aulas.
O curso será ministrado ao vivo pela plataforma Zoom.

Programa

– Relações entre arte, fotografia e colecionismo.
– A fotografia e os movimentos artísticos.
– A noção de arquivo e sobrevivência na contemporaneidade.
– Fotografia como suporte de criação nas artes visuais

Professor

Guilherme Tosetto é fotógrafo e pesquisador. Mestre em Multimeios pela Unicamp, especialista em Fotografia e graduado em Relações Públicas pela Universidade de Londrina, doutorando em Fotografia/Belas-Artes na Universidade de Lisboa e professor no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Atuou como fotojornalista e editor de imagens em veículos de comunicação. Foi curador das exposições Realidade e Ficções Fotográficas (2020) e A menor Imagem (2019), no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Territórios Íntimos na Galeria 78/80, em Lisboa (2016); Imagens Incendiárias na Galeria da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015) e 140 caracteres no MAM-SP (2014).


Investimento

R$ 335,00 (até o início das aulas)

Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

. À vista: transferência bancária [10% de desconto]
. Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Um jardim com memórias: Fotografar com a Natureza | ON-LINE E AO VIVO

Arte por Malin Fabbri – retirada de Lomography.com

Data: a definir
Horário: a definir
Carga horária: 1h30 hrs/aula (aprox)

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: Papel poroso (cartão e/ou de aquarela); pincel; álcool 96%, molduras para a exposição da imagem; beterraba; açafrão; flores e folhas diversas para impressão no papel; filtro de café; luvas (opcional) e copos para mistura.
Público-alvo: fotógrafos, entusiastas, e interessados em trabalhos manuais e analógicos. Crianças a partir de 5 anos podem participar, desde que acompanhadas por um adulto.

*O curso será transmitido através da plataforma Zoom.

Já pensou em fazer fotografias utilizando plantas? John Herschel, em 1842, já produzia imagens utilizando o extrato de flores para impressão de imagens. Esse processo de impressão fotográfica chama-se antotipia (antho: flor) e pode ser feito por qualquer um. Basta ter paciência para extrair pigmentos fotossensíveis e
para esperar que a luz do sol passe a imagem que escolher para o papel.
O curso tem o objetivo de ensinar às crianças e adultos a imprimir fotografias e/ou criar imagens através de extratos da própria natureza, sem adição de químicos.

Professora

Lorena Travassos é Doutorada em Ciências da Comunicação (NOVA, Lisboa), no ramo
“Comunicação e Arte”, com especialidade em Fotografia. Mestre em Comunicação (UFPB,
Brasil) e fotógrafa. Atualmente é professora de História e Técnicas Fotográficas na
Universidade Lusófona, na licenciatura de Fotografia, e investigadora assistente no projeto
Photo Impulse (financiado pela FCT-PTDC/COM-OUT/29608/2017). É investigadora integrada do ICNOVA e formadora em cursos livres de projetos fotográficos em Lisboa.

Fotografias por Lorena Travassos


Investimento

R$ 85,00 (até o início do curso)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária [10% de desconto]
• Pagseguro [on line – valor integral em até 12x, sujeito à juros da administradora]

• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.