História e Cultura da África e sua Diáspora | ONLINE E AO VIVO | 20/07

Fotografia pelo ganense Derrick Ofosu Boateng

Início: 20 de julho
Horários: segundas e quartas, 19h às 21h (horário de Brasília)
Total: 8 aulas
Carga horária: 16 h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: interessados em conhecimentos sobre história africana e afro-brasileira e Diáspora Africana; estudantes e professores de História; ativistas do Movimento Negro.

O curso visa apresentar a história africana a partir da correlação de personagens, situações e experiências com a Diáspora Africana, ou seja, a comunidade negra espalhada pelo mundo. Promoveremos uma viagem histórica, desde o surgimento dos primeiros seres humanos em África, passando pelos grandes impérios, a Diáspora forçada pelo processo de escravização até o Pan-africanismo e outras teorias e práticas políticas contemporâneas de emancipação e resistência do povo negro.
O curso será ministrado ao vivo pela plataforma Zoom.

Programa

Aula 1
Mãe África – Os Sapiens e sua dispersão pelo mundo: Linha do tempo desde o surgimento dos primeiros seres humanos em África, sua evolução e dispersão pelo mundo. Aspectos geológicos do continente, que permitiram o estabelecimento e desenvolvimento das primeiras sociedades.

Aula 2
Matriarcado e berço civilizatório africano: Conceitos de Matriarcado, Patriarcado, Matrilinearidade e Patrilinearidade como constituintes dos berços civilizatórios africano e europeu. Mitos femininos africanos e gregos como símbolos do lugar da mulher nas respectivas sociedades.

Aula 3
Grandes Impérios: Serão apresentadas a forma de organização social, economia e momentos históricos de alguns impérios africanos, tais como: Gana, Aksum (Axum), Mali (Mandinka), Congo, Songhai, Oyo Yorubá, Benin, e os mais tradicionalmente estudados: Kush e Egito.

Aula 4
Atlântico Negro – Diáspora e Escravização: A colonização da África pela Europa, escravização, resistência organizada nas Américas, preservação da memória e da cultura por meio da tradição oral. Serão apresentadas personalidades que se destacaram na resistência africana (do continente e da Diáspora), tais como: Zumbi dos Palmares, Nanny of the Maroons, Rainha Nzinga, Harriet Tubman.

Aula 5
Xenofilia – a África na Diáspora: Para além de lutar pela preservação de seus hábitos e costumes, os povos africanos em Diáspora também abraçaram idiomas e comportamentos de culturas diferentes da sua própria, juntando essas diferenças e transformando em algo novo. Dança, religião, gastronomia e até mesmo o idioma falado no Brasil são exemplos disso. Nesta aula vamos abordar esse traço da cultura africana, que garantiu a sobrevivência de africanos em Diáspora e permitiu o desenvolvimento de culturas que mesclam elementos africanos e de outros povos.

Aula 6
Independência de países africanos: Processos diferentes levaram países africanos a se tornar independentes dos colonizadores europeus. Vamos estudar como foi a independência dos seguintes países: Angola (1975), Moçambique (1975), Timor Leste (colonizado por Portugal e posteriormente invadido pela Indonésia; independente em 1975 e 2002, (espectivamente), Nigéria (1960), Congo (1960) e Sudão (1956).

Aula 7
Amefricanidade – Pan-africanismo e afrocentricidade: Vamos debater os conceitos de Pan-africanismo, Afrocentricidade, Mulherismo Africana, Feminismo Negro, Black Money como alternativas epistemológicas de resistência da população negra em África ou na Diáspora como eles têm contribuído na luta contra o racismo e às múltiplas opressões a que as pessoas negras estão submetidas.

Aula 8
Afrofuturismo – Passado e futuro de uma perspectiva africana: A partir deste movimento cultural, vamos conhecer artistas africanos do continente e da Diáspora que trabalham sob essa perspectiva e espalham a cultura e a história africanas por meio da arte contemporânea pelo mundo.

Professora

Jô Gomes é jornalista e especialista em Gestão de Políticas Públicas de Gênero e Raça pela
Universidade de Brasília. É pesquisadora de História Geral da África e Matriarcado Africano
pelo Instituto Hoju (RJ) e pós-graduada em Dança e Consciência Corporal (Estácio). Dançarina especializada em estilos Afro (Danças Afro-brasileiras, Kuduro, Afro House, Dancehall, Azonto, Hip Hop, Funk e Passinho). Sua formação transdisciplinar lhe permite compreender a importância das artes e da mídia para a construção e desconstrução de estereótipos e preconceitos e fazer a interseccionalidade de corpo e intelectualidade negras, sejam elas africanas do continente ou da Diáspora.


Investimento

R$ 300,00 (até o início das aulas)

. Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
. Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Filosofia da Fotografia – Módulo II | ON-LINE E AO VIVO | 04/08

Verbo 2, série Revérbero – Monica Nassar

Início: 4 de agosto de 2020
Horário: terças e sextas, 15h às 18h (horário de Brasília)
Total: 6 aulas, 18 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes das artes visuais, filósofos, artistas e interessados no tema.

*O curso será ministrado através da plataforma on-line Zoom



Entender o funcionamento metafísico, ético e político das imagens é estar em sintonia com a contemporaneidade de forma crítica. Para tanto, este curso pretende apresentar a filosofia como uma ferramenta essencial para produzir e interpretar imagens fotográficas de acordo a História da Arte, considerando aspectos sociais e políticos. As investigações sobre a Filosofia da Fotografia mostram-se imprescindíveis para quem pretende aprofundar-se nos estudos da imagem.

Programa

Encontro 1
Filosofia da Fotografia

Retomada sobre o surgimento da fotografia e seu entrelaçamento com a filosofia.

Obras abordadas: História da Arte Moderna (1992), Giulio Carlo Argan.

Encontro 2O Universo das imagens técnicas
Compreender e aprofundar os conceitos utilizados por Vilém Flusser sobre imagens técnicas e seu entendimento de uma pós-história.

Filosofia e estudo de caso I: Estudo de caso colocando em prática os conceitos desenvolvidos pelo filósofo de
Vilém Flusser.

Obras abordadas: Universo das imagens técnicas (2008) e Pós-história: vinte instantâneos e um modo de usar (2011), de Vilém Flusser.

Encontro 3A Fotografia e realidade
Estudo sobre as teorias desenvolvidas por Philippe Dubois para discutir acerca da dimensão metafísica do ato fotográfico.

Filosofia e estudo de caso II: Estudo de caso com base nas análises de Philippe Dubois.

Obras utilizadas: O ato fotográfico e outros ensaios (1993), de Philippe Dubois.

Encontro 4 – A Fotografia e a arte contemporânea
Introdução à fotografia enquanto uma linguagem na arte contemporânea.

Filosofia e estudo de caso III: Estudo de caso relacionando os conceitos apreendidos e análise de imagens.

Obra utilizada: A Fotografia entre documento e arte contemporânea (2009) de André Rouillé, Arte contemporânea, uma introdução (2005), de Anne Cauquelin.

Encontro 5 – Ética na Fotografia I
Investigação filosófica sobre ética nas imagens fotográficas sobretudo em imagens
de violência.

Filosofia e estudo de caso IV: Estudo de caso com imagens de fotojornalismo.

Obras utilizadas: Diante da dor dos outros (2004), de Susan Sontag e o ensaio A reivindicação da não violência (2018), de Judith Butler.

Encontro 6 – Ética na Fotografia
Discussão sobre o/a fotógrafo/a e o registro fotográfico.

Filosofia e estudo de caso V: Paralelo entre imagens da 2a guerra mundial e dias atuais.

Obras utilizadas: Para entender uma fotografia (2017), de John Berger.

Professora

Mayã Fernandes é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). Publicou vários artigos nas áreas de filosofia antiga, estética e ensino de filosofia. Investiga a teoria do belo em Plotino e sua relação com a arte moderna. É Membro do Projeto Das Deusas: gênero, arte e filosofia. 

Além de amável, acessível e participativa, a professora demonstrou conhecimento vivência profundos que ampliaram minha compreensão sobre temas de fronteira para o fazer com ética no mundo contemporâneo.

Tiago Rocha de Almeida

O curso atendeu minhas expectativas, pude adquirir novos conhecimentos e repensar um pouco o fazer fotográfico. Mayã foi uma excelente professora!

Henrique Bulhões

Investimento

R$ 337,50 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Filosofia da arte | ON-LINE E AO VIVO | em breve

Imagem de capa: Wassily Kandinsky, Composição VIII, Museu Solomon R. Guggenheim. 1923

Início: 23 de junho de 2020
Horários: terças e sextas, 15h às 18h (Horário de Brasília)
Total: 9 aulas, 27 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes das artes visuais, filósofos, artistas e interessados no tema.

*O curso será transmitido através da plataforma gratuita Zoom

O curso visa analisar como acontece o entrelaçamento da Filosofia com a Arte, partindo dos primórdios da filosofia ocidental. É possível falar em uma essência da Arte? O artista produz a partir de objetos sensíveis ou consegue capturar a sua essência no inteligível? Ao longo da história da arte, diversos filósofos e artistas debruçaram-se sobre essas questões. No que tange à filosofia, uma investigação sobre a arte assume problemáticas éticas, epistemológicas e ontológicas. Para compreender o conceito em sua completude, serão abordados textos filosóficos, reconstruindo, por meio da intertextualidade, a arte na tradição filosófica. Evidentemente, não se trata de uma abordagem exaustiva das vertentes na filosofia ocidental, mas sim de uma mirada problematizadora.

Programa

Unidade 1: Filosofia, ética e ontologia.
1. Introdução à filosofia;
2. Qual o perigo de um artista na cidade ideal? – A República de Platão;
3. Sobre o valor da Arte: retórica e poética – A Poética de Aristóteles;
4. A salvação da Arte – Neoplatonismo de Plotino;
5. Metafísica da Arte e o Cristianismo – influências da arte bizantina e a arte como um caminho para chegar a Deus – Agostinho e Tomás de Aquino.

Unidade 2: A subjetividade da arte 
1. O Belo, o Sublime e a Arte – Kant;
2. O Belo, o Sublime e a Arte – Kant;

3.A Arte e o idealismo Alemão – Hegel;
4. A Arte e o idealismo Alemão – Hegel;
5. O apolíneo e o dionisíaco – Friedrich Nietzsche;
6. O apolíneo e o dionisíaco – Friedrich Nietzsche;

Unidade 3: Interioridade e seus reflexos na arte moderna
1. Arte moderna e o rompimento com a mimese;
2. A Arte como expressão inteligível – Abstracionismo de Wassily Kandinsky;
3. A Arte e a liberdade do artista.

Rothko, No. 210/No. 211 (Orange), 1960

Professora

Mayã Fernandes é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). Publicou vários artigos nas áreas de filosofia antiga, estética e ensino de filosofia. Investiga a teoria do belo em Plotino e sua relação com a arte moderna. É Membro do Projeto Das Deusas: gênero, arte e filosofia. 

Sou aprendiz… eterna aprendiz da arte imagética. Ter a professora Mayã como condutora do nosso despertar para o conhecimento filosófico no mundo das artes foi uma experiência construtiva e transformadora em minha forma de pensar fotografia. Vida longa ao f/508!

Nityama Macrini

Investimento

R$ 500,00 (até o início do curso)

. Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
. Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Workshop de Autopublicação | ON-LINE E AO VIVO | 08/08

imagem de autoria da Experimentos Impressos

Início: 08 de agosto
Horários: das 15h às 17h (horário de Brasília)

Duração: 03 semanas
Carga horária: 06h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: artistas, escritores, e interessados em aprender, desenvolver , e organizar seus projetos para publicações físicas e digitais

O workshop busca orientar quem deseja criar um projeto de autopublicação, com foco na organização editorial, viabilizando aspectos práticos como canais de venda, formas de divulgação e criação, entre outros tópicos.
Ele nasce em um momento importante do mercado editorial, em que, de um lado, as grandes livrarias enfrentam uma das maiores crises já vistas, e de outro, abre espaço para novos debates, políticas de atuação e formas de inserção nesse segmento. O trabalho independente, seja por meio de editoras de médio porte ou escritores que se autopublicam, tem representado um papel fundamental nesse novo cenário.

Programa

– Apresentação: Case Experimentos Impressos
– Pesquisas e dados sobre o mercado do livro no Brasil
– O mercado independente
– O que é autopublicação?
– Plataformas digitais
– e-books
– Obras impressas
– Como eu me vejo?
– Visão de artista
– Visão comercial
– Organização editorial
– É importante ter CNPJ?
– E o registro na Biblioteca Nacional, para que serve?
– É importante ter ISBN?
– Identidade visual/marca
– Linha de trabalho: pequenas tiragens x grandes tiragens
– A produção artesanal e/ou caseira X tiragens em gráficas
– Encadernação artesanal e outras técnicas de baixo custo
– Organização: estoque; fornecedores; formação de preço: investimento e mão de obra (produção artesanal); finanças (investimento e lucro); é possível alcançar a sustentabilidade financeira?

-Canais de distribuição: feiras gráficas; loja online; livrarias: o modelo comercial praticado hoje (consignação, percentual de 35% sobre preço de capa e prazo de repasse para editoras); redes sociais
– Divulgação: redes sociais e posts promovidos; assessoria de imprensa; a importância de ter capacidade produtiva para suprir eventuais grandes demandas; veículos especializados e relacionamento com jornalistas; impressos, eletrônicos e sites/blogs; mailing de contatos; abordagem; releases e notas; estrutura dos textos; booktubers; divulgação criativa e sem custo: case Kit Gay e Carne Fresca; Youtube e os booktrailers ou vídeos de passo a passo
– Processos criativos
-Tipos e referências de publicações independentes
– Tipos de impressão e acabamentos
– Dissecando o livro: Atlas de anatomia: detalhes do processo de pesquisa, criação e concepção da obra lançada em 2017
– Exercício prático – narrativa visual na publicação: colagem manual e zine

Professor

Ricardo Rodrigues é formado em comunicação social, nas habilitações de publicidade e jornalismo. Atuou como repórter de cultura, assessor de imprensa e produtor de conteúdo para meio digital. Em paralelo sempre produziu textos de ficção, os quais resolveu materializar no papel em 2016 com a criação da editora de autopublicação Experimentos Impressos. Desde então publicou mais de 50 títulos, entre zines e livros, além de outras peças gráficas. 


Investimento

R$ 250,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.


• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Filosofia da Fotografia – Módulo I

Imagem de capa: Raquel Pellicano

Início: a definir
Horário: a definir
Total: 8 aulas, 24 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: Fotógrafos, amantes das artes visuais, filósofos, artistas e interessados no tema.



O curso irá inserir os participantes na linguagem filosófica para compreender os principais conceitos da filosofia da fotografia. Ao longo da história da filosofia ocidental, a experiência da visão despertou em filósofas e filósofos a formulação de suas teorias no âmbito da arte. Com o surgimento da fotografia, com a revolução industrial e os avanços tecnológicos, a arte entrelaçou-se com questões metafísicas, éticas e políticas, o que despertou o interesse da filosofia na analise de imagens.

Programa

Introdução à filosofia da fotografia
Introdução ao método filosófico e surgimento da filosofia da fotografia.
A criação de conceitos na perspectiva de Barthes
Compreender o conceito de punctum e o conceito de câmera clara.
Filosofia e estudo de caso I
Estudo de caso colocando em prática os conceitos assimilados na filosofia de Barthes.
A relação entre o/a fotógrafo/a e o aparelho
Estudo acerca teoria de Flusser sobre a fotografia, acentuando a luta entre o/a
fotógrafo/a e o aparelho, tal como essa relação se desenvolve no domínio da
filosofia da fotografia.
Filosofia e estudo de caso II
Estudo de caso com base nas análises e críticas de Frusser a fotógrafos/as específicos.
A imagem como resposta ao totalitarismo
Introdução aos conceitos artísticos elencados por Walter Benjamin para
responder ao contexto histórico do neo-nazismo, capitalismo e ao período de guerra iminente.

Imagem, técnica e memória
Investigar a teoria da história e a teoria das imagens em Walter Benjamin
Filosofia e estudo de caso III
Estudo de caso colocando em prática os conceitos assimilados na filosofia de Walter Benjamin.
O ato de fotografar
Análise sobre a filosofia da fotografia de Susan Sontag.
Apreensão do momento e criação de memória
Investigar o papel da fotografia na apreensão do momento e ressignificação da memória
Filosofia e estudo de caso IV
Estudo de caso colocando em prática conceitos assimilados na filosofia de
Susan Sontag.
Fotografia e fascismos
Observar a estetização da fotografia em determinados momentos históricos e as suas consequências éticas.

Roland Barthes

Professora

Mayã Fernandes é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). Publicou vários artigos nas áreas de filosofia antiga, estética e ensino de filosofia. Investiga a teoria do belo em Plotino e sua relação com a arte moderna. É Membro do Projeto Das Deusas: gênero, arte e filosofia. 

Além de amável, acessível e participativa, a professora demonstrou conhecimento vivência profundos que ampliaram minha compreensão sobre temas de fronteira para o fazer com ética no mundo contemporâneo.

Tiago Rocha de Almeida

O curso atendeu minhas expectativas, pude adquirir novos conhecimentos e repensar um pouco o fazer fotográfico. Mayã foi uma excelente professora!

Henrique Bulhões

Investimento

R$ 450,00 (até o início do curso)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Arquitetura da Exposição: expografia e cenografia | ONLINE E AO VIVO | 20/08

foto de capa: PQ 2019 de Monica Nassar

Início: 20 de Agosto
Horários: das 19h às 21h (horário de Brasília)
Total: 5 aulas
Carga horária: 10 h/aula

Nível de exigência: intermediário
Pré-requisitos: ter um projeto fotográfico a ser trabalhado (próprio ou de outro artista, com autorização)
Público-alvo: fotógrafos, arquitetos, designers, artistas e entusiastas em realizar exposições

O curso de Arquitetura da Exposição do Espaço f/508 é composto por aulas expositivas ao vivo via plataforma Zoom e acompanhamento de propostas de projeto via email.

Talvez, a extraordinária e incontestável comunicação entre artista e observador seja o encontro entre “visitante e conjunto expositivo” proporcionado por uma exposição.
Um projeto expográfico, ou museográfico, resulta de uma soma de esforços multidisciplinares e da capacidade dessa equipe de traduzir uma narrativa em intermediações sensoriais.
Esse curso abre o debate da participação do artista na construção do diálogo do seu trabalho, agora aberto para uma discussão pública, e interpreta o seu envolvimento a partir das etapas de projeto, aspectos críticos e históricos, e estudos de caso dentro da disciplina do tratamento de exibições de arte.

PQ 2019 – foto de Monica Nassar

Programa

1. Apresentação do curso e introdução a expografia.

O que é expografia? O que é um museu e qual a sua relevância social? Porquê estudar expografia?
Atividade para casa: O aluno deverá escolher um projeto de sua autoria para desenvolver uma exposição e levar na próxima aula. 

2. a) O que é lugar? Abordaremos os conceitos de lugar dentro dos estudos da geografia poética, de modo a entendermos a relação entre arte e o espaço que a abriga. 
b) O cubo branco X caixa preta: Um estudo sobre espaços expositivos e a sua interferência na curadoria das obras
Atividade para casa: Escolher um material para nortear o projeto expográfico e levar um estudo sobre as suas propriedades e uma amostra física na próxima aula.

Exposição do Brasil – PQ 2019

3 e 4. O projeto expográfico:

  • antes. Nesta etapa, abordaremos estudos necessários para a montagem e desenvolvimento de uma exposição que vêm antes dos desenhos técnicos de projeto: orçamentos, cronogramas, conceitos, etc. Atividade para casa: Estudo preliminar de projeto. 
  • durante. Processos envolvidos no desenho de uma exposição: rotas de visitantes, arte gráfica, sentidos, técnicas de desenhos, suportes….)
  • depois. Depois que a sua exposição está pronta, ela ainda precisa de outros elementos que garantam a sua sustentabilidade. Temos sempre que pensar nos visitantes e em como eles vão se relacionar com o espaço expositivo oferecido. Aqui falaremos sobre como despertar o interesse dos visitantes e manter a exposição ativa dentro do cronograma proposto. Atividade para casa: Desenvolvimento de projeto.

5. Apresentação de projetos

PQ 2019 – foto de Monica Nassar

Professora

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retorna para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participa pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”. 

Expografia de Monica Nassar


Investimento

R$ 375,00 (até a data do curso )

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Modas e modos africanos na fotografia: vestimentas e representações na obra de Seydou Keïta

Bamako (Mali), entre 1948 e 1963. Foto de Seydou Keïta/ Contemporary African Collection (CAAC) – The Pigozzi Collection

Início: a definir
Horários: a definir
Carga horária: 02 h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: estudantes, pesquisadores, profissionais de Moda, Fotografia, Artes e Ciências Humanas e interessados em geral.


A aula tem por objetivo refletir sobre os registros feitos pelas lentes do fotógrafo malinês Seydou Keïta, que podem ser considerados significativos documentos históricos e também encarados como produções de moda local. Suas fotografias retratam jovens mulheres vestidas à maneira do oeste africano, grupos de jovens rapazes vestidos para sair, mulheres anciãs com suas joias de família que denotam poder e hierarquia, tecidos ora feitos em teares, ora estampados com motivos que exaltam a independência de outros países do continente, além de outros motivos têxteis, datados ainda da era colonial, mas reformulados a partir de gostos e agências africanas.

Professora

Hanayrá Negreiros é pesquisadora e educadora em Moda, História Cultural e Curadoria.
Mestre em Ciência da Religião pela PUC – SP, e graduada em Negócios da Moda pela
Universidade Anhembi Morumbi. Possui como principais focos de estudo, estéticas afro-
brasileiras e africanas, que se manifestam através da indumentária, memórias coletivas e
religiosidades.

Foto de Seydou Keïta - Bamako, Mali, entre 1948 e 1963 - Contemporary African Collection
Bamako (Mali), entre 1948 e 1963. Foto de Seydou Keïta/ Contemporary African Collection (CAAC) – The Pigozzi Collection

Investimento

R$ 85,00 (até o início da aula)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curadoria: história,
práxis e produção

Início: 04 de julho de 2019 (quinta-feira)

Horários: terças e quintas, das 19h às 21h
Total: 6 aulas

Duração: 3 semanas
Carga horária: 12h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público alvo: artistas visuais, artistas plásticos, fotógrafos, historiadores da arte e afins, futuros curadoras e curadores. Será bem-vindo quem deseja conhecer mais sobre esta área profissional da arte.

O curso divide-se nos 2 módulos de História e Práxis, nos quais teremos abordagens que perpassam pela história da curadoria, processo de pesquisa e concepção da ideia, tipologias, escolha de temáticas, análise crítica de produções artísticas, modelos de expografia, espaço expositivo, interatividade e atualizações.

Professora

Sissa Aneleh é, atualmente, professora-pesquisadora da Universidade Católica de Brasília. Doutora e Mestra em Artes com pesquisas em História da Arte e Fotografia brasileiras na linha teórica de Teoria, Crítica e História da Arte. Pesquisadora de Mulheres Artistas e Arte Brasileira. Foi docente na Universidade de Brasília nos cursos de História da Arte e Artes Plásticas, ministrando as disciplinas: Curadoria, História da Arte (vários períodos), Arte Brasileira, Artes Visuais Moderna e Contemporânea e disciplinas de Teoria e Crítica de Arte.

Programa do curso

Módulo História

Aula 1 – Breve história da curadoria. – História das exposições. – Conceitos e teorias da Curadoria. – Museus, galerias e institutos de arte. – Acervos, coleções e colecionadores. – Prática da curadoria no Brasil e no mundo.

Módulo Práxis

Aula 2 – O trabalho da curadoria. – O perfil do/da curador/a. – Funções do curador, especialidades e formação. – Caminhos da pesquisa em arte e outros assuntos. – Direção e equipe curatorial. – Mercado de Arte. – A relação entre curadores e artistas.

Aula 3 – As tipologias e modelos de exposição. – Modelos clássico e contemporâneo. – Limitações da idéia do espaço e expansões do cubo branco. – Processo de pesquisa e concepção da ideia da exposição. – Temáticas. – Exemplos de exposição. – Exercícios de elaboração da idéia e tema da exposição.

Aula 4 – Material textual das exposições: linguagem, textos críticos e informativos. – O texto curatorial. – Produção de textos e tipos de apresentação. – Catálogos e outros materiais/produtos. – Exercícios de escrita de texto curatorial.

Aula 5 – Noções básicas de desenho de exposição. – Designers da exposição. – Tipos de ambientes. – Comunicação visual. – Acessibilidade: desenho inclusivo ou universal. – Exercício de temas e tipologia da exposição.

Aula 6 – Formação de público, educativo, monitoria e ações. – Exposição de conteúdo. – A exposição educativa: material didático, cursos e oficinas. – Comunicação interna e externa. – Exercício: estudo de adequação de material didático.


Investimento

1º lote: 3x de R$206,66 (R$ 620,00 – até o início do curso ou enquanto houver vaga)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Tem interesse no curso? Entre em contato pelo e-mail cursos@f508.com.br

Imagens dessa página fizeram parte da exposição ELLES: Mulheres artistas na coleção do Centro Pompidou, Paris, 2009.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Um jardim com memórias: Fotografar com a Natureza | ON-LINE E AO VIVO | 01/08

Arte por Malin Fabbri – retirada de Lomography.com

Data: 01 de Agosto
Horário: as 10h (horário de Brasília)
Carga horária: 1h30 hrs/aula (aprox)

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: Papel poroso (cartão e/ou de aquarela); pincel; álcool 96%, molduras para a exposição da imagem; beterraba; açafrão; flores e folhas diversas para impressão no papel; filtro de café; luvas (opcional) e copos para mistura.
Público-alvo: fotógrafos, entusiastas, e interessados em trabalhos manuais e analógicos. Crianças a partir de 5 anos podem participar, desde que acompanhadas por um adulto.

*O curso será transmitido através da plataforma Zoom.

Já pensou em fazer fotografias utilizando plantas? John Herschel, em 1842, já produzia imagens utilizando o extrato de flores para impressão de imagens. Esse processo de impressão fotográfica chama-se antotipia (antho: flor) e pode ser feito por qualquer um. Basta ter paciência para extrair pigmentos fotossensíveis e
para esperar que a luz do sol passe a imagem que escolher para o papel.
O curso tem o objetivo de ensinar às crianças e adultos a imprimir fotografias e/ou criar imagens através de extratos da própria natureza, sem adição de químicos.

Professora

Lorena Travassos é Doutorada em Ciências da Comunicação (NOVA, Lisboa), no ramo
“Comunicação e Arte”, com especialidade em Fotografia. Mestre em Comunicação (UFPB,
Brasil) e fotógrafa. Atualmente é professora de História e Técnicas Fotográficas na
Universidade Lusófona, na licenciatura de Fotografia, e investigadora assistente no projeto
Photo Impulse (financiado pela FCT-PTDC/COM-OUT/29608/2017). É investigadora integrada do ICNOVA e formadora em cursos livres de projetos fotográficos em Lisboa.

Fotografias por Lorena Travassos


Investimento

R$ 85,00 (até o início do curso)

• Para se inscrever, clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Entraremos em contato via e-mail.
• Dúvidas? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

História da Arte Moderna
e Contemporânea

Imagem de capa: A Dança, Henri Matisse

Início: a definir
Horários: a definir
Total: 12 aulas
Carga horária: 24 h/aula

Nível de exigência: intermediário
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: artistas, fotógrafos, pesquisadores e curiosos em estudar sobre História da Arte

Nesse curso, traçaremos um percurso histórico da arte ocidental, desde o Renascimento à contemporaneidade, em diálogo com a teoria, a filosofia e a sociologia da arte. O programa é focado na compreensão da formação das Academias e suas influências no pensamento contemporâneo. Passaremos por vanguardas europeias e por artistas brasileiros, com uma metodologia baseada na leitura de imagens a partir da compreensão de processos históricos de construção de linguagens plásticas e significados.

Programa

O que é arte?

Problematizações iniciais: o que é arte?
Artista, o fazer artístico, a instituição; o espectador, a experiência estética, a situação atual.

A força da tradição

Tensionamentos da arte contemporânea; graffiti, direito à cidade e a dimensão política da arte.
O ideal renascentista e sua perpetuação; os valores românticos prevalentes.

O ensino da arte

O século de ouro holandês, a formação das Academias europeias.
Natureza-morta: o gênero “inferior”.

A colonização da arte no Brasil

A criação da Academia Imperial de Belas-Artes, a Missão Artística Francesa.
Os segregados no processo de ensino das artes.
A pintura como construção de um discurso oficial de nação.

Nasce a fotografia, morre a arte

Fotografia e impressionismo; a morte da arte; as vanguardas europeias.
A fotografia no Brasil; Semana de arte moderna de 1922.
Reflexões a propósito de uma arte no Brasil.

A emergência da consciência política no meio artístico

O entreguerras no Brasil, os imigrantes e a nova classe trabalhadora.
A arte como necessidade social; Arte Concreta e Neoconcreta.

Repressão e resistência poética

Os anos 60 e 70 no Brasil; o movimento feminista e sua repercussão na arte.
“Seu corpo é um campo de batalha”; o pessoal é político.

Enfim, hoje

Liberdade versus censura; arte de disturbação.
Arte engajada.
Artistas de Brasília.

Professora

Raisa Ramos é historiadora da arte, doutoranda em Artes pela UnB, onde desenvolve pesquisa sobre desigualdade racial na formação da instituição artística no Brasil, com foco na trajetória de Estevão Roberto da Silva (1844-1891) durante seu exercício na Academia Imperial de Belas Artes. Mestra em Artes pela mesma instituição. Foi orientadora acadêmica do curso de Especialização em História e Cultura Afro-brasileira e Africana da Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduada em Comunicação Social pela UFG. Interessa-se por aproximações entre cultura, política e direitos humanos. Como jornalista, colabora com veículos nacionais, publicando artigos opinativos sobre seus temas de interesse. Atua no monitoramento de projetos e no controle de resultados do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do DF. É, também, professora na nossa Pós-graduação Lato Sensu em Fotografia como Suporte para a Imaginação.


Investimento

1º lote: 3x de R$ 206,66 (R$ 620,00 até o início do curso)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.