Oficina de Neorrealismo Italiano
no Cinema

Foto de capa: cena do filme Ladrões de Bicicleta, Vittorio De Sica, 1948

Data:  a definir
Horário: a definir
Carga horária: 4hrs/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: estudantes, fotógrafos, artistas e interessados em uma introdução à linguagem cinematográfica

O Neorrealismo italiano foi um movimento cinematográfico que despontou nos anos 1940,
caracterizado por histórias sobre a classe trabalhadora, filmadas com pouquíssimos recursos. A maioria tratava de temas como as dificuldades econômicas e sociais na Itália pós-Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945). Os filmes exibiam a mudança de mentalidade dos italianos e suas condições de vida, retratando o desespero, a opressão e a desigualdade que eles enfrentavam.
Seus maiores expoentes foram Roberto Rosselini, Vittorio De Sica e Luchino Visconti. A oficina busca compreender o desenvolvimento dessa vanguarda cinematográfica através da análise de filmes como Ladrões de Bicicleta, de de Sica e Roma, Cidade Aberta, de Roberto Rossellini.

Professora

Josianne Diniz é mestra em Comunicação na Linha Imagem, Som e Escrita pela Universidade de Brasília (UNB), Graduanda em Comunicação Social em Audiovisual pela Universidade de Brasília (UNB). Atua nas áreas de Cinema Brasileiro, Teoria Estética do Cinema, História do Cinema, Fotografia e Linguagem Sonora e Teorias da Comunicação. Pesquisa acadêmica voltada para o cinema brasileiro e suas relações entre identidade, imaginário, representação, análise da história a partir do cinema. Desenvolve pesquisa também em Documentário, com ênfase em documentário ficcional e documentário brasileiro contemporâneo. Membro do Núcleo de Estudos e Produção Digital em Linguagem Sonora, NEPLIS, grupo vinculado ao Laboratório de Áudio da Faculdade de Comunicação (FAC/UnB). 


Investimento

1º lote: 2x de R$ 115,00 (R$230,00)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Workshop de
Nu Editorial

Início: a definir
Horários: a definir
Total: 4 encontros
Carga horária: 9 h/aula

Nível: intermediário
Pré-requisitos: domínio de fotometria e equipamento DSRL
Público-alvo: fotógrafos amadores e profissionais interessados em fotografia de nu com viés comercial

O WS é orientado na direção do nu comercial, explorando diferentes cenários e ambientes e proporcionando ao aluno um aprimoramento na prática e direção, além de um estudo do comportamento da luz.

Serão 5 horas de aula prática, com 2 modelos, em locação com 2 ambientes e utilização de luz natural.

Professora

Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), Raquel Pellicano é fotógrafa e artista visual, com produção autoral e experimentações em linguagem fotográfica. Comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino e registros de viagens. Com 31 anos, é sócia do Espaço f/508 de fotografia, ministra cursos e oficinas e está à frente do estúdio fotográfico. Criou o programa do curso de pós graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação, que teve início em março de 2018. Assinou diversos editoriais de moda, com trabalhos publicados nas revistas Vogue Brasil, Trip, VIP e Playboy.

Portfólio da fotógrafa: www.raquelpellicano.com


Investimento

1º lote: 3x de R$233,75 (R$ 701,25 até o dia da oficina ou enquanto houver vagas)

Tem interesse no curso? Entre em contato através do e-mail cursos@f508.com.br

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Oficina de
Fotografia de Viagem

Data: a definir
Horário: a definir
Carga horária: 02 hrs/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: fotógrafos amadores, blogueiros, arquitetos, viajantes frequentes

Viajar é sempre uma grande experiência. Novos aromas, sabores, culturas e, claro, visuais de tirar o fôlego são parte de um roteiro inesquecível. Voltada para fotógrafos profissionais e amadores, a Oficina de fotografia de viagem do Espaço f/508 propõe uma nova abordagem acerca da fotografia de registro de viagens, uma lembrança reinventada. A proposta é instigar uma reciclagem do olhar para pequenos detalhes e sutilezas que podem compor um diário de viagem poético, tão encantador quanto o momento vivenciado.

Professora

Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), Raquel Pellicano é fotógrafa e artista visual, com produção autoral e experimentações em linguagem fotográfica. Comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino e registros de viagens. Com 31 anos, é sócia do Espaço f/508 de fotografia, ministra cursos e oficinas e está à frente do estúdio fotográfico. Criou o programa do curso de pós graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação, que teve início em março de 2018. Assinou diversos editoriais de moda, com trabalhos publicados nas revistas Vogue Brasil, Trip, VIP e Playboy.


Investimento

1º lote: R$ 145,00
2º lote: R$ 170,00

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Oficina de
Fotografia de Paisagem

Início: a definir
Horário: a definir
Carga horária: 02 hrs

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos:  nenhum
Público-alvo:  fotógrafos amadores, arquitetos, viajantes frequentes

Fotografia de paisagem é um gênero explorado por quase todos os fotógrafos, pelo menos uma vez na vida. Alguns tiveram sucesso com suas tentativas e continuaram este trabalho. Outros desistiram devido a vários motivos. A verdade é que contar uma estória através de uma fotografia de paisagem é muito mais complexo do que se pode imaginar. Transmitir a mensagem através de diferentes assuntos requer pensar fora da caixa. A oficina de fotografia de paisagem propõe um mergulho nessas possibilidades.

Professor

Fotógrafo fine art, Humberto Lemos tem foco na fotografia minimalista com influência oriental. Atua como coordenador e professor no Espaço f/508 de Fotografia. Realizou a curadoria de diversas exposições e publicações virtuais, e desenvolveu projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e o Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007. Portfólio: www.humbertolemos.com

Não sou fotógrafa, nem amadora. Faço fotos para documentar minha vida. Procuro cursos/oficinas para que minhas experiências tenham ilustrações mais bonitas. O curso atendeu minhas expectativas pois ampliou meu olhar e meu senso crítico.


Investimento

1º lote: R$ 145,00
2º lote: R$ 170,00

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Workshop de
Animação de recorte

Data: a definir
Horários: a definir

Total: 08 horas/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: artistas, cineastas, entusiastas jovens e adultos interessados em artes visuais e cinema.

A animação de recorte é animação na técnica de Stop Motion realizado com recortes de papéis, revistas ou fotografias. Através dos princípios da animação tradicional, os alunos irão aprender como realizar a imagem animada através de exercícios práticos com elaboração de concepção visual e criação experimental de uma composição.

Programa

  • Como realizar a imagem animada; como é feito uma animação de recorte.
  • Conhecimento de filmes experimentais e visuais na técnica de animação de
    recorte.
  • Aprendizado prático de como realizar uma animação de recorte.
  • Concepção visual de uma animação.
  • Criação experimental de uma composição, com recorte de revistas.
  • Princípios da montagem digital, edição e finalização da animação em GIF ou Vídeo.

Professora

Raquel Piantino é animadora, diretora e educadora, tem como pesquisa e produção a animação tradicional. É autora de curtas metragens, animações experimentais e comercias. Além de trabalhos digitais, a artista desenvolve animações mecânicas com Flipbooks e outros brinquedos óticos. Lançou em 2019 o curta metragem “Claudia e o Crocodilo” e o vídeo clipe “Depois do Samba” onde atua como diretora e animadora.

Produção de alunos


MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Oficina de
Colorização manual

Início: a definir
Horários: a definir
Carga horária: 6 h/aula

Todo o material utilizado para a realização da oficina será fornecido pela escola, mas se desejarem os alunos poderão trazer suas próprias imagens e materiais de trabalho.

A colorização manual de fotografia é a técnica que utiliza de diversos pigmentos para a aplicação de cores sobre uma fotografia em preto e branco ou mesmo colorida. Estes pigmentos podem ser aquarela, guache, lápis, óleo e outros.

Tão antiga quanto a própria fotografia, esta foi uma técnica muito utilizada no século XIX pelos estúdios fotográficos europeus que geralmente empregavam um profissional exclusivamente para esta tarefa. Há exemplos de imagens coloridas manualmente até mesmo em suportes diferentes do papel, como daguerreótipos, ambrótipos e ferrótipos.

A oficina é voltada para a experimentação de materiais como lápis de cor e tinta à óleo disponíveis no mercado nacional, e que podem ser utilizados no processo de colorização manual em papéis fotográficos. Os participantes receberão imagens produzidas em laboratório a partir de postais originais do professor, impressos em papel fotográfico, fibra de gelatina e prata.

Professor: Maurício Sapata

Maurício Sapata é fotógrafo e também atua em projetos educativos em diversas instituições como Sesc, Sesi, CEUs e Fábricas de Cultura. Faz pesquisas e ministra oficinas sobre processos históricos fotográficos, fotografia Pinhole e a Colorização Manual de Fotografias. Tem um projeto de fotografia lambe-lambe intitulado de “Câmera Caixote”, que atua como instrumento educativo e propagador da história e do resgate da técnica.


Investimento
1º lote: 3x de R$ 170,00 (R$ 510,00 até o início do curso ou enquanto houver vaga)

MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Todas as imagens da página são de autoria do professor Maurício Sapata

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Pós-Graduação Lato Sensu
em Fotografia

Início: a definir
Segundas e quartas: de 19h às 22h
Carga horária: 420 horas/aula

Nível de exigência: avançado
Pré-requisitos: possuir certificado de graduação reconhecido pelo MEC, e entrevista pré-agendada
Público alvo: voltado para graduados em fotografia, arquitetura, artes visuais, publicidade, audiovisual, jornalismo, antropologia, letras e demais áreas de humanas, o curso abordará uma linguagem multi e inter disciplinar, focada na formação intelectual e no escoamento da produção de projetos imagéticos conceitualmente estruturados.

A Pós-Graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação possui módulos correlacionados, nos quais o aluno é introduzido ao estudo da imagem e suas múltiplas possibilidades de criação e suportes, buscando o desenvolvimento de diferentes projetos fotográficos. Abordam-se diversas áreas e poéticas visuais, de maneira a fornecer ferramentas para a busca de uma linguagem autoral com o embasamento e conhecimento necessários para a criação consciente de imagens carregadas de signos.

A partir do momento em que se entende o ato de criação fotográfico como multidisciplinar, o aluno passa por um processo imersivo de interação e estudo de áreas como cinema, literatura, antropologia visual, artes plásticas, fotografia documental e contemporânea, além de processos históricos e alternativos de construções imagéticas.


Grade Curricular

1° Semestre: 02/03/2020 a 22/06/2020

  • História da arte moderna e contemporânea
  • Poéticas da imagem: fotografia e literatura
  • Linguagem e semiótica
  • Estética da linguagem

2° Semestre: 04/08/2020 a 18/11/2020

  • Processo criativo
  • Narrativas fotográficas
  • Processos históricos, alternativos e manuais da fotografia
  • Poética cinematográfica: estudos da linguagem audiovisual

3° Semestre: 08/03/2021 a 23/06/2021

  • Antropologia visual
  • Fotografia como suporte para a arte contemporânea
  • Fotografia documental contemporânea
  • Metodologia e desenvolvimento de pesquisa

4° Semestre: 02/08/2021 a 17/11/2021

  • Estudo de Expografia
  • Criação de Projetos Imagéticos
  • Processos Curatoriais
  • Trabalho de conclusão de curso

Corpo Docente (a confirmar)

Alexandre Dafoe de Aguiar

Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo. Desde criança se interessa por fotografia e seu funcionamento, sempre brincando com o mundo de ponta-cabeça da câmera reflex que pegava escondido da mãe. Sua primeira câmera foi uma Kodak Sport 25mm. Na faculdade frustrou-se com as novas câmeras digitais automáticas (point and shoot) e foi fazer workshops de fotografia PB 35mm na Rhode Island School of Design, onde se apaixonou pela fotografia analogica química. É formado em administração hoteleira pela Johnson & Wales University em Providence, Rhode Island, EUA, em Relações Internacionais pela George Washington University, Washington D.C., EUA, e com especialização em Língua e Cultura Russas pela Universidade Estatal de São Petersburgo, na Rússia . Em 2008, no final da segunda graduação, retomou a prática da fotografia em 35mm  e foi apresentado aos processos históricos alternativos. Desde então tem se dedicado à pesquisa e ensino desses processos. Trabalhou com programas governamentais de educação em áreas de conflito no Brasil e no exterior até 2017, quando decidiu se dedicar à fotografia e outros projetos.

Bruna Neiva

Bruna Neiva é artista visual, pesquisadora em arte e produtora cultural. Possui mestrado na linha de Poéticas Contemporâneas do Instituto de Artes pela Universidade de Brasília, onde aprofundou sua pesquisa em arte contemporânea, linguagem e memória, voltada para a fotografia e performance. Iniciou sua formação em Comunicação Social na Universidade de Brasília, tendo trabalhado como fotojornalista em veículos como o Jornal de Brasília. O trabalho de Bruna Neiva transita pela performance e tem a fotografia como suporte para suas ações. Em sua obra, a artista se reporta à inconcretude da realidade e a solidez do sonho como matérias poéticas. Bruna Neiva dedica-se também à realização de projetos como exposições, prêmios e ações em arte-educação que pensam a arte como vetor de resistência e caminho para proposições sociais, políticas e do afeto.

Cinara Barbosa

Pesquisadora, consultora e curadora independente de arte. É pósdoutora e mestre pelo Instituto de Arte da Universidade de Brasília (UNB) com ênfase em arte contemporânea e tecnológica e bacharel em Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF). É diretora artística do Elefante Centro Cultural (DF), espaço autônomo de artes visuais e membro do Conselho Curatorial da Galeria Espaço Piloto (Instituto de Artes – Departamento de Artes Visuais da UnB). É idealizadora do BSB Plano das Artes, ganhador do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) 2016/2017, projeto que envolve espaços independentes e ateliês de Brasília com foco na formação de arte educadores para o circuito autônomo das artes na cidade. Dedica-se também à consultorias de acompanhamento crítico para artistas. Foi ganhadora do Prêmio Bolsa Funarte de Estímulo à Produção Crítica em Artes Visuais 2010, com o projeto de pesquisa sobre curadoria O Pensamento do curador. E recebeu o Prêmio Petrobrás Cultural 2008⁄2009 para realização do Festival Internacional de Arte e Mídia (FAM), como membro do coletivo CibOrg. De 2003 a 2005, foi Coordenadora Adjunta do FotoRio – Festival Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro, do qual foi idealizadora, junto com Milton Guran.

Marco Antônio Vieira

Marco Antônio Vieira é Doutor em Arte, na linha de Teoria e História da Arte, pelo Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da UnB. Sua tese “História(s) da Arte e o Sintoma Alegórico: Por uma Releitura de Winckelmann” foi a selecionada para concorrer ao Prêmio Capes de Tese 2019 na área de Artes Visuais pelo PPG-ARTE do VIS/IdA/UnB. É Mestre em Teoria Literária com a dissertação “De um Lacan em Lituraterra: Pintescritura em W(o)Wolf e Green(a)Way”, pelo Departamento de Teoria Literária e Literaturas do Instituto de Letras da UnB. Coordenou a Graduação em Design de Moda do Centro Universitário IESB,de sua abertura em 2007 a 2016. O curso foi reconhecido com a nota máxima do MEC em 2011. Atuou como docente em nível de Pós-Graduação nos Centros Universitários Belas Artes e SENAC, em São Paulo, e no Nordeste. Atualmente ocupa o cargo de Professor Substituto na área de Teoria e História da Arte do curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Uberlândia.Atua como curador independente desde 2007 e tem em seu currículo exposições de artistas como Rubem Valentim, Athos Bulcão, Vik Muniz, entre outros. Sua pesquisa ocupa-se das motivações desejantes que marcam a discursividade em torno dos objetos, fenômenos e manifestações da arte.

Denise Camargo

Fotógrafa com trajetória em ensino e pesquisa no campo das artes visuais. É doutora em Artes (Instituto de Artes/Unicamp), mestre em Ciências da Comunicação (Escola de Comunicação e Artes/USP) e tem estudos pós-graduados realizados na Universidade de Navarra, Espanha. É professora-adjunta do Departamento de Artes Visuais – IdA/UnB, onde leciona temas relativos às práticas fotográficas, à fotografia brasileira nos cursos de graduação e às poéticas contemporâneas no Programa de Pós-graduação em Arte. Coordena a Galeria Espaço Piloto, equipamento cultural do Instituto de Artes da Universidade de Brasília. Seu tema são os processos criativos, a imagem nas matrizes afro-brasileiras e abordagens de arte e tecnologia. Atua também na cadeia produtiva da Economia da Cultura com ênfase em concepção e gestão de projetos socioculturais, realiza exposições de seus trabalhos e curadorias. É membro do comitê de seleção do 6X6 Global Talent Program da Associação World Press Photo. Foi docente do Bacharelado em Fotografia do Centro Universitário Senac, onde também foi coordenadora da pós-graduação em fotografia (2000-2011). Nasceu em São Paulo – SP, e desde 2009 vive e trabalha em Brasília – DF.

Guilherme Tosetto

Guilherme Tosetto é fotógrafo e curador independente. Mestre em Multimeios pela Unicamp, especialista em Fotografia pela Universidade de Londrina, atualmente é doutorando em Belas-Artes/Fotografia na Universidade de Lisboa. Atuou como fotojornalista e editor de imagens em diversos veículos de comunicação (Folha de São Paulo, Editora Abril, iG, G1). Foi curador das exposições Territórios Íntimos na Galeria 78/80, em Lisboa (2016); Imagens Incendiárias na Galeria da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015) e 140 caracteres no MAM-SP (2014).

Monica Nassar

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Durante seu ensino superior, deu início aos seus estudos de canto, dança e teatro na Escola de Teatro Musical de Brasilia (ETMB) no ano de 2009, onde participou como atriz em diversas montagens musicais e permaneceu até 2012. Durante um sabático, em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Pós graduou em Análise Ambiental e Desenvolvimento sustentável em 2014, ainda pela instituição UniCEUB. Em seguida, mudou-se para a cidade de São Paulo, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo em 2014, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Cenografia de Praga, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo, em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos, em geral. Em 2018, retorna para Brasília, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde realiza projetos expográficos, leciona e coordena a gestão financeira.

Raisa Pina

Raisa Ramos é historiadora da arte, doutoranda em Artes pela UnB, onde desenvolve pesquisa sobre desigualdade racial na formação da instituição artística no Brasil, com foco na trajetória de Estevão Roberto da Silva (1844-1891) durante seu exercício na Academia Imperial de Belas Artes. Mestra em Artes pela mesma instituição. Foi orientadora acadêmica do curso de Especialização em História e Cultura Afro-brasileira e Africana da Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduada em Comunicação Social pela UFG. Interessa-se por aproximações entre cultura, política e direitos humanos. Como jornalista, colabora com veículos nacionais, publicando artigos opinativos sobre seus temas de interesse. Atua no monitoramento de projetos e no controle de resultados do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do DF. É, também, professora na nossa Pós-graduação Lato Sensu em Fotografia como Suporte para a Imaginação.

Ludimila Menezes

É poeta, doutora em literatura pelo Departamento de Teoria Literária e Literaturas da UnB com estudos de dez meses na Université Paris-Sorbonne IV, foi professora substituta de Teoria da Literatura na UnB e publicou diversos ensaios em periódicos e livros acadêmicos.

Anne Mendes

Designer, musicista, professora e pesquisadora, Anne Mendes faz mestrado no Programa de Pós Graduação em Design da Universidade de Brasília (UnB) com foco em Design de Interação e Informação, é especialista em Artes Visuais: Cultura e Criação pelo Senac e bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Designer há mais de 14 anos, seu trabalho e pesquisa giram em torno de percepções sensoriais, improviso, processos de criação e estímulos criativos, assim como em formas empáticas de resolução de problemas. Por acreditar que a aprendizagem é um ato contínuo que deve romper as barreiras da sala de aula, tenta trazer a vida e os interesses de cada indivíduo como elementos primordiais no processo de ensino e documentação do conhecimento.

Josianne Diniz

É mestra em Comunicação na Linha Imagem, Som e Escrita pela Universidade de Brasília (UNB), Graduanda em Comunicação Social em Audiovisual pela Universidade de Brasília (UNB). Atua nas áreas de Cinema Brasileiro, Teoria Estética do Cinema, História do Cinema, Fotografia e Linguagem Sonora e Teorias da Comunicação. Pesquisa acadêmica voltada para o cinema brasileiro e suas relações entre identidade, imaginário, representação, análise da história a partir do cinema. Desenvolve pesquisa também em Documentário, com ênfase em documentário ficcional e documentário brasileiro contemporâneo. Membro do Núcleo de Estudos e Produção Digital em Linguagem Sonora, NEPLIS, grupo vinculado ao Laboratório de Áudio da Faculdade de Comunicação (FAC/UnB). 

Samira Rabello

Nascida e criada no Rio de Janeiro, após passar 7 anos fora, mudou-se para Brasilia, onde já reside há seis anos. Acredita nas construções do pensamento pela interdisciplinaridade, se interessa nas aproximações entre arte, antropologia e psicologia. Tem grande interesse na pesquisa sobre cultura da imagem como processo subjetivação e revisionismo histórico, com foco nos efeitos das imagens e suas sobrevivências nas sociedades modernas. Pesquisadora, Mestre em Artes pela UnB, com pesquisa em semiótica visual sobre imagens em movimento e instalações de arte e Doutoranda, também em Artes pela UnB, com outra pesquisa em revisionismo histórico e cultura da imagem acerca do corpo e das construções arquetípicas com foco no feminino. Realizou curadorias independentes (RJ – DF) e iniciou sua carreira na área sócio-cultural, como Coordenadora de Comunicação do Ponto de Cultura na ONG Viva Rio (RJ).Também atuou com projetos culturais, onde realizou ações e projetos de cinema itinerante para debates com jovens de comunidade do Rio de Janeiro. Atuou como fotógrafa em estúdio (modelo e produtos), e em um site sobre curiosidades históricas da capital carioca.


Ementas

Linguagem e semiótica

Inquietações e debates acerca da atual produção imagética contemporânea, questionamentos inerentes à arte contemporânea, estrutura conceitual vs. a estética da imagem, investigação de signos e conceitos da imagem intertextual, teorias imagéticas de Jakobson, Barthes, Sontag, Sartre Mircea Eliade e Bourdieu, Peirce e o sistema das imagens e dos signos

Estética da linguagem

Imaginário, conceito de estética, experiência estética, reflexão crítica criativa, identificação de movimentos e linguagens culturais, construção de estéticas, imagem e identidade, imagem e tempo, imagem e memória, imagens literárias.

Processo Criativo

Exercícios e técnicas de processo criativo, atividades inter-relacionadas, experimentação de ferramentas e materiais, componentes de pensamento, estímulos ao desbloqueio, técnicas para formatação de ideias e estudo da criatividade.

História da arte moderna e contemporânea

Leitura de imagens a partir da compreensão de processos históricos de construção de linguagens plásticas e significados, fotografia e artes plásticas, perspectivas históricas a partir do renascimento e vanguardas.

Poéticas da imagem: fotografia e literatura

Interpretações dos textos literários de ficção, prosa e ensaística por meio da fotografia; Fundamentos da Literatura: delimitações do campo literário; Literatura e imagem; Inserção das imagens fotográficas no interior da obra literária como tema; Poesia e fotografia; A fotografia como suporte poético; Exercícios de crítica.

Poética cinematográfica: estudos da linguagem audiovisual

Cinema, “a máquina de sentimento”; linguagem cinematográfica; a imagem-movimento e a imagem-tempo; o olhar fenomenológico do cinema, teoria estética do cinema e audiovisual.

Processos históricos, alternativos e manuais da fotografia

Concepção de imagem por meios históricos, processos analógicos, prática em laboratório, cianotipia, goma bicromatada, marrom van dyke, possibilidades de pigmentos e suportes, desdobramentos estéticos.

Narrativas fotográficas

Fotografia x realidade, o extra-quadro, narrativas sequenciais x não-sequenciais, fotografia seriada, noções espaço x tempo na imagem fotográfica, o corte temporal, o corte espacial, estética do desaparecimento, os espaços discursivos da fotografia, a fotografia como texto, a fotografia como arte da memória.

Antropologia Visual

O percurso da antropologia visual, referências imagéticas, etnografia e fotografia – o uso da imagem no campo da Antropologia, a fotografia como instrumento de pesquisa e suas relações com a construção de sentido na História, codificação e decodificação das imagens fotográficas e seu processo de produção, campo discursivo da imagem, imagem fotográfica como instrumento de linguagem e documentação.

Fotografia documental contemporânea

Fotografia documental clássica, fotografia documental imaginária, fotografia documental social, fotografia documental antropológica, temas sociais, impressões sobre o mundo e registros cotidianos, estrutura clássica do documentarismo, conceitos de verdade, objetividade e credibilidade, novas formas de documentação, construção e apropriação do realismo.

Fotografia como suporte para a arte contemporânea

Práticas e técnicas adotadas pelos fotógrafos na produção contemporânea de fotografia, leitura de imagens, estratégias contemporâneas de articulação de conteúdo, fotografia e performance, fotografia e subjetividade, questões políticas relacionadas à imagem.

Criação de projetos imagéticos

Reflexão teórica e prática em ateliê, experimentação, conceito atrelado à imagem, introdução à formulação de projeto, execução de projeto individual.

Estudo de expografia

Marcel Duchamp ou a lógica do ato, dadaísmo e surrealismo, a foto-instalação e a escultura fotográfica, mistura polifônica dos materiais e dos signos, cenografia, o papel do suporte e do meio para a apresentação de conteúdos imagéticos, o histórico da expografia e a polivalência do artista, a posição sócio-espacial do artista.

Processos curatoriais

Identidade e processos curatoriais, organização e montagem de projeto artístico, pesquisa e edição de acervos, conexões poéticas,  museografia, design e montagem, difusão e memória, conceito de museu e museologia, papel do curador, reflexões sobre a prática curatorial.

Metodologia e desenvolvimento de Pesquisa

Elaboração de projeto de pesquisa, os aspectos formais, concepção e estruturação; a construção da amostra, análise do objeto, o resultado, a estruturação do texto, relação entre projeto e memorial.

Trabalho de Conclusão de Curso

Pesquisa e produção de projeto e de ensaio reflexivo orientado por um professor. Acompanhado por painel de discussão, sem efeito de menção, composto por convidados do professor.

Certificado reconhecido pelo MEC.
Esse programa é oferecido em aliança acadêmica entre a Faculdade Unyleya e o Espaço f/508.


Tem interesse no curso? Entre em contato através do e-mail  cursos@f508.com.br!

Investimento

3º lote: R$ 15.840,00 | em até 24x de R$660,00 (até o início do curso ou enquanto houver vaga)



Formas de pagamento

  • . Boleto bancário: valor integral em 1+23x (entrada em dinheiro, cartão de débito ou transferência bancária)
  • . À vista: 10% de desconto (dinheiro, cheque ou transferência bancária)

A Natureza
do Filme

Animal Locomotion, Eadweard Muybridge

Início: a definir
Horário: a definir

Total: 6 aulas
Duração: 3 semanas
Carga horária: 12h/aula

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público alvo:  interessados em se aprofundar nas teorias da linguagem cinematográfica, estudantes e profissionais de cinema, jornalismo, publicidade.

Afinal, o que é o cinema? Uma linguagem narrativa ou uma poética das imagens? Quais são os seus elementos constituintes fundamentais? A Natureza do Filme quer apresentar todas as facetas da arte cinematográfica: sua interseção com as outras artes, os modelos narrativos, não-narrativos e híbridos, assim como questionar o mito do filme como “uma história bem contada”. O curso pretende nos ajudar a “ver um filme” através da análise das imagens e do discurso narrativo. A aula também pretende discutir como surge um filme.

Através do método de exposição teórica, da análise de pinturas, de fotografias, de de trechos de filmes, pretendemos fazer o participante desenvolver uma profunda e prazerosa compreensão da arte do filme.

Programa

  • Semelhanças e dessemelhanças entre a imagem pictórica e a imagem cinematográfica;
  • Construção das cenas (imagem, ritmo, cenários, jogo dos atores)
  • Edição/montagem como a especificidade cinematográfica fundamental
  • Atributos da ideia e da essência da linguagem audiovisual.

Professor

Sérgio Moriconi é cineasta, professor, sociólogo e crítico de cinema. Dirigiu curtas, entre eles, Athos, homenagem ao artista Athos Bulcão. Colaborou no roteiro decurtas e longas. É o criador e curador do Slow Filme – Festival Internacional de Cinema, Alimentação e Cultura Local, que acontece anualmente na cidade goiana de Pirenópolis. É autor do livro Cinema – Apontamentos Para Uma História. Foi o programador do Cine Brasília e integrou durante vários anos a comissão curadora do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Homem com câmera na mão, Dziga Vertov


MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Curso
Profissionalizante

Início: a definir
Horários: terças-feiras das 19h às 21h e sábados de 10h às 12h

Total: 76 aulas | 152 hrs/aula

Nível de exigência:  intermediário
Pré-requisitos: domínio de fotometria, equipamento DSRL e entrevista pré-agendada
Público-alvo:  fotógrafos amadores com interesse em se especializar nos diversos segmentos da fotografia

O Curso Profissionalizante de Fotografia do f/508 visa à formação cultural, visual e técnica de quem procura essa prática como profissão ou meio de expressão pessoal, propiciando uma base crítica e analítica, fundamental para a construção de imagens. Visando ampliar o horizonte de referências culturais e estéticas, as aulas aumentam o espectro cultural do aluno, abrangendo expoentes fotográficos, cinematográficos e literários, oferecendo o aporte para a criação de uma maturidade imagética.

Proporciona ainda, uma imersão em diversas possíveis áreas de atuação, desde o contato com a fotografia de autor e suas linguagens, suportes, narrativas e construções imagéticas, até práticas em estúdio, técnicas de iluminação e direção de pessoas, fotografia de gastronomia, fotografia de still, moda e demais segmentos oriundos da fotografia comercial. O estudo oferece um panorama de possibilidades, além de uma base para criação de portfólio e orientação para contato com clientes em potencial.

Coordenadora

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retorna para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participa pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”. 

1º semestre

Módulo Técnico

Fotografia e geometria. Fotografia em preto e branco: enxergando em PB; o cinza médio. Dupla Exposição. Instante decisivo. Linguagem fotográfica. Trabalhando com a cor. Fotômetro, modos de medição, foco automático, tipos de arquivo, bracketing. HDR e tilt-shift. Macro com lente invertida. Flash dedicado: fotometria do flash, luz artificial, técnicas criativas. Tipos de cartões e sensores. Panorama histórico da fotografia. Narrativas da fotografia de viagens. Landscape e longas exposições.

Módulo Tratamento de Imagem – Teoria e prática
Gestão de arquivos, organização e classificação + tratamento de imagem com o software Adobe Lightroom. Apresentação das interfaces e suas ferramentas. Corte e correção de perspectiva. Fotografia P&B. Fotografia em cor. Distorção. Máscaras (filtro radial, filtro graduado, pincel de ajuste). Tipos de arquivo. Gerenciamento de Cores: Espaços de cor. Balanço de branco, exposição, contraste, saturação, cores, nitidez. Limpeza da imagem: Remoção de sujeira do sensor. Preparação de arquivos para impressão fine art.

Módulo Composição
Leis da Gestalt (Unidade, segregação, unificação, continuidade, proximidade, semelhança, pregnância da forma); Conceituação e propriedades (Forma, Forma/Ponto, Forma/Linha, Forma/Volume); Categorias Conceituais(Harmonia/Ordem, Harmonia/Regularidade, Desarmonia,Equilíbrio/Simetria, Equilíbrio/Assimetria, Equilíbrio/Peso e direção, Contraste/Luz e tom, Contraste/Ritmo, Contraste/Passividade; Técnicas visuais: clareza, simplicidade, minimidade, complexidade, redundância, aleatoriedade, fragmentação, sutileza, distorção, profundidade, superficialidade, sequencialidade; O uso da cor e da luz.

Módulo autoral
Construção de séries, fotografia e artes plásticas, processos criativos, desconstrução do olhar, os múltiplos significados da imagem, fotografia autoral e estudos de linguagem visual, edição e curadoria.

Orientação e Projeto Final do módulo autoral
. Orientação extra-classe para desenvolvimento de um projeto final relacionado à fotografia autoral

Férias – 19 de julho a 03 de agosto

Por Raquel Pellicano

2º semestre

Direção de arte
Linguagem da cenografia. Aspectos técnicos da direção de arte. Relação do cenário, iluminação, equipamentos.

Adobe Photoshop
Introdução a montagem de imagens no Photoshop: ferramentas de seleção, ferramentas de corte, máscaras, tratamento de pele para retrato, criação de dípticos e trípticos.

Fotografia de Produtos
O módulo tem o intuito de oferecer aos alunos condições de aprender, na prática, as nuances dos diversos tipos de trabalhos que é possível se fazer em estúdio. Varejo, Metal, Vidro, Jóia e Branco sobre branco, e também fotografia de gastronomia.

Fotografia de Gastronomia e Ambientes
As aulas visam proporcionar uma vivência prática e teórica nas áreas da fotografia de gastronomia e de ambientes, além de fornecer referências visuais e conhecimentos técnicos específicos inerentes a essas frentes da fotografia comercial, englobando informações sobre foodstyling, lentes apropriadas, iluminação e composição visual.

Fotografia Social
. Os ramos da fotografia social, suas especificidades e mercado. Estilos na fotografia de casamentos, equipamentos e suas aplicações. O uso de flash. Elaborando o orçamento. O papel da equipe na fotografia. Workflow: organização dos arquivos e particularidades do tratamento de imagem. Apresentação do produto final.

Fotojornalismo
Os primórdios do fotojornalismo. Suas manifestações e práticas de construção imagética. O nascimento das agências. As novas mídias – o olhar e o corpo. Da fotorreportagem à fotografia documental.

Retrato e moda – Teoria e prática
.Escolha da Locação. Sugestões de lentes adequadas. Tipos de trabalho: book, editorial de moda, catálogo, look-book, lifestyle, ensaios, retrato autoral, retrato corporativo e demais frentes. O conceito na fotografia de moda. Breve história da fotografia de retrato e moda. Análise de trabalhos de fotógrafos renomados. O papel do stylist (produção fashion e comercial). O papel do maquiador. Uso do fotômetro. Esquemas de iluminação em estúdio. Uso do flash de estúdio. Sincronização. Direção de modelos. Uso do rebatedor/bandeira. Fotografia externa. Luz dura/ luz suave. Apresentação e análise de portfólio dos alunos. Buscando uma linguagem autoral. Diferenças entre fashion, comercial e conceitual. Orientações sobre o mercado, diálogos com clientes e elaboração de orçamentos, dicas para criação de portfólio online.

Gestão de mídias sociais  para fotógrafos
Uso otimizado de mídias sociais – postagens patrocinadas, criação de público, entendimento de métricas, linguagem para mídias sociais/instagram.

Nu fotográfico em estúdio – Teoria e prática
. Composto essencialmente por aulas práticas realizadas em estúdio, o curso será orientado na direção de um nu artístico, buscando o estudo de ângulos que valorizem as formas femininas. Luz e sombra. Luz sobre luz. Contraluz. Luz de recorte. Ângulos corretivos.

Orientação e Projeto Final
. Orientação extra-classe para desenvolvimento de um projeto final relacionado à fotografia comercial.

Inclui certificado

*Os alunos do Curso Profissionalizante tem acesso livre ao estúdio fotográfico a partir do módulo comercial, mediante agendamento prévio (sujeito à disponibilidade de horário).

**Alunos do Curso Profissionalizante têm 50% de desconto e prioridade nas vagas do curso de Fotografia de Espetáculos**


MATRÍCULAS ENCERRADAS.
Quer ficar sabendo das novidades desse curso? Clique aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Workshop de
Papel Salgado

Obra de autoria de Margareth Adams

Início: 05 de agosto de 2019
Horário: segundas-feiras, 19h às 22h
Total: 08 horas/aula

*A primeira aula tem duração e 2hrs

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: conhecimentos básicos de fotografia analógica
Público-alvo: Fotógrafos amadores e profissionais e interessados em processos analógicos de fotografia
Material necessário: 
1 bloco de papel para aquarela com gramatura à partir de 200g formato A4, negativos em transparência (haverá orientação para a produção dos negativos durante o primeiro encontro), avental, toalha de rosto, óculos de proteção, pincel chato com pelo menos 2cm de largura

O programa inclui: químicos e estrutura de laboratório.

O curso faz uma introdução prática à técnica de impressão em papel salgado, precursora da fotografia analógica moderna. Vamos trabalhar as matérias primas utilizadas de forma a desmistificar o processo e dar ao participante oportunidade de incorporar a técnica a sua produção de forma organizada, simples e segura.
O curso é dividido em três etapas: introdução histórica e técnica junto com demonstração e apresentação das matérias primas; prática de impressão; fixação, tonalização e acabamento. O participante sairá com conhecimento prático para experimentação e produção de imagens utilizando a técnica do Papel Salgado, podendo aplicar em seus projetos, bem como estará pronto para iniciar experimentos com técnicas derivadas mais avançadas como a impressão em papel albuminado (albúmen) e a produção de imagens in camera (calotipia).

Programa

Dia 1 (2 horas)
● Breve introdução histórica e técnica
● Apresentação do espaço e matérias primas
● Segurança
● Tutorial para a produção de negativos em transparência de acetato
● Apresentação dos objetivos do curso e técnicas que serão utilizadas

Dia 2 (3 horas)
● Preparo de papel para impressão
● Impressão básica e impressão estável

Dia 3 (3 horas)
● Fixação, tonalização e acabamento
● Impressão livre

William Henry Fox Talbot – English Vines, 1839
Professor: Alexandre Dafoe de Aguiar

Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo, desde criança se interessa por fotografia e seu funcionamento, sempre brincando com o mundo de ponta-cabeça da câmera reflex que pegava escondido da mãe. Sua primeira câmera foi uma Kodak Sport 25mm. Na faculdade frustrou-se com as novas câmeras digitais automáticas (point and shoot) e decidiu cursar workshops de fotografia PB 35mm na Rhode Island School of Design, onde se apaixonou pela fotografia analógica química. É formado em administração hoteleira pela Johnson & Wales University em Providence, Rhode Island, EUA, em Relações Internacionais pela George Washington University, Washington D.C., EUA, e com especialização em Língua e Cultura Russas pela Universidade Estatal de São Petersburgo, na Rússia . Em 2008, no final da segunda graduação, retomou a prática da fotografia em 35mm e foi apresentado aos processos históricos alternativos. Desde então tem se dedicado à pesquisa e ensino desses processos. Trabalhou com programas governamentais de educação em áreas de conflito no Brasil e no exterior até 2017, quando decidiu se dedicar à fotografia e outros projetos.


Investimento

1º lote: 3x de R$ 233,33 (R$ 670,00 até o início do curso ou enquanto houver vagas)

. Inicie o seu processo de matrícula clicando aqui.

Formas de pagamento

• À vista: transferência bancária
• Pagseguro [em até 12x, sujeito à juros da administradora]
• Desconto de 5% para matrícula em mais de um curso. Entre em contato via e-mail.
• A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.