Pós-Graduação Lato Sensu
em Fotografia | ONLINE

As aulas da pós gradução f/508 em fotografia serão realizadas através da plataforma zoom, online e ao vivo, e são abertas para todo o Brasil.

Por entendermos que os horários nem sempre são compatíveis para todos os interessados, os encontros são gravados, o que facilita o ingresso aos que não podem participar durante o horário pré-estabelecido.

Início: 01 de março
Horários: Segundas e quartas, das 19h às 22h
Carga horária: 420 horas/aula

Nível de exigência: avançado
Pré-requisitos: possuir certificado de graduação reconhecido pelo MEC, e entrevista pré-agendada
Público alvo: voltado para graduados em fotografia, arquitetura, artes visuais, publicidade, audiovisual, jornalismo, antropologia, letras e demais áreas de humanas, o curso abordará uma linguagem multi e inter disciplinar, focada na formação intelectual e no escoamento da produção de projetos imagéticos conceitualmente estruturados.

A Pós-Graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação possui módulos correlacionados, nos quais o aluno é introduzido ao estudo da imagem e suas múltiplas possibilidades de criação e suportes, buscando o desenvolvimento de diferentes projetos fotográficos. Abordam-se diversas áreas e poéticas visuais, de maneira a fornecer ferramentas para a busca de uma linguagem autoral com o embasamento e conhecimento necessários para a criação consciente de imagens carregadas de signos.

A partir do momento em que se entende o ato de criação fotográfico como multidisciplinar, o aluno passa por um processo imersivo de interação e estudo de áreas como cinema, literatura, antropologia visual, artes plásticas, fotografia documental e contemporânea, além de processos históricos e alternativos de construções imagéticas.


Grade Curricular

1° Semestre:

Antropologia visual

Fotografia como suporte para a arte contemporânea

Fotografia documental contemporânea

Metodologia e desenvolvimento de pesquisa

2° Semestre:

Estudo de Expografia

Criação de Projetos Imagéticos

Processos Curatoriais

3° Semestre:

História da arte moderna e contemporânea

Filosofia da Fotografia

Linguagem e semiótica

Estética da linguagem

4° Semestre:

Processo criativo

Narrativas fotográficas

Processos históricos, alternativos e manuais da fotografia

Poética cinematográfica: estudos da linguagem audiovisual

Corpo Docente

Alexandre Dafoe de Aguiar

Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo. Desde criança se interessa por fotografia e seu funcionamento, sempre brincando com o mundo de ponta-cabeça da câmera reflex que pegava escondido da mãe. Sua primeira câmera foi uma Kodak Sport 25mm. Na faculdade frustrou-se com as novas câmeras digitais automáticas (point and shoot) e foi fazer workshops de fotografia PB 35mm na Rhode Island School of Design, onde se apaixonou pela fotografia analogica química. É formado em administração hoteleira pela Johnson & Wales University em Providence, Rhode Island, EUA, em Relações Internacionais pela George Washington University, Washington D.C., EUA, e com especialização em Língua e Cultura Russas pela Universidade Estatal de São Petersburgo, na Rússia . Em 2008, no final da segunda graduação, retomou a prática da fotografia em 35mm  e foi apresentado aos processos históricos alternativos. Desde então tem se dedicado à pesquisa e ensino desses processos. Trabalhou com programas governamentais de educação em áreas de conflito no Brasil e no exterior até 2017, quando decidiu se dedicar à fotografia e outros projetos.

Marco Antônio Vieira

Marco Antônio Vieira é Doutor em Arte, na linha de Teoria e História da Arte, pelo Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da UnB. Sua tese “História(s) da Arte e o Sintoma Alegórico: Por uma Releitura de Winckelmann” foi a selecionada para concorrer ao Prêmio Capes de Tese 2019 na área de Artes Visuais pelo PPG-ARTE do VIS/IdA/UnB. É Mestre em Teoria Literária com a dissertação “De um Lacan em Lituraterra: Pintescritura em W(o)Wolf e Green(a)Way”, pelo Departamento de Teoria Literária e Literaturas do Instituto de Letras da UnB. Coordenou a Graduação em Design de Moda do Centro Universitário IESB,de sua abertura em 2007 a 2016. O curso foi reconhecido com a nota máxima do MEC em 2011. Atuou como docente em nível de Pós-Graduação nos Centros Universitários Belas Artes e SENAC, em São Paulo, e no Nordeste. Atualmente ocupa o cargo de Professor Substituto na área de Teoria e História da Arte do curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Uberlândia.Atua como curador independente desde 2007 e tem em seu currículo exposições de artistas como Rubem Valentim, Athos Bulcão, Vik Muniz, entre outros. Sua pesquisa ocupa-se das motivações desejantes que marcam a discursividade em torno dos objetos, fenômenos e manifestações da arte.

Guilherme Tosetto

Guilherme Tosetto é fotógrafo e curador independente. Doutor em Belas Artes na especialidade de Fotografia pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, mestre em Multimeios pela Unicamp sob orientação do professor Etienne Samain, especialista em Fotografia pela Universidade de Londrina. Atualmente é professor dos cursos de Fotografia, Artes Visuais e Comunicação Social no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Atuou como fotojornalista e editor de imagens em diversos veículos de comunicação (Folha de São Paulo, Editora Abril, iG, G1). Foi curador das exposições Territórios Íntimos na Galeria 78/80, em Lisboa (2016); Imagens Incendiárias na Galeria da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015) e 140 caracteres no MAM-SP (2014).

Mayã Fernandes

É doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). Publicou vários artigos nas áreas de filosofia antiga, estética e ensino de filosofia. Investiga a teoria do belo em Plotino e sua relação com a arte moderna. É Membro do Projeto Das Deusas: gênero, arte e filosofia. 

Lourenço Cardoso

Professor Adjunto do dep. de Comunicação do Centro Universitário de Brasília – Uniceub. Doutorando em Comunicação, linha de pesquisa Imagem, Estética e Cultura Contemporânea PPG/FAC – UnB; Mestre em Comunicação, linha de pesquisa Imagem e Som PPG/FAC – UnB; Bacharel em Antropologia Social e Licenciado em Ciências Sociais DAN – UnB; Dedica-se à pesquisa em fotografia, memória e representação visual. Desenvolve trabalhos autorais de produção fotográfica e conteúdos audiovisuais. Como professor leciona disciplinas ligadas à fotografia, ao audiovisual e às ciências sociais com ênfase em fotojornalismo e fotografia publicitária. Atualmente desenvolve pesquisas ligadas à fotografia contemporânea e sua multiplicidade e significados. Atuou no mercado profissional fotográfico transitando em diferentes áreas de produção.
Autor de Lajão – 2009, dentre outros fotolivros.

Christus Nóbrega

Artista e Professor do Departamento de Artes Visuais (VIS) da Universidade de Brasília (UnB). Doutor e Mestre em Arte Contemporânea pela UnB. Leciona e orienta nos curso de Pós-Graduação em Artes da mesma instituição. Sua pesquisa poética parte das teorias do território e da viagem, atravessadas por ideias de ficção e memória, história social e individual. Utiliza a residência artística e a alteridade como métodos. Vem participando regularmente de exposições nacionais e internacionais. Recentemente fez individuais no Centro Cultural do Banco do Brasil (2017/2018) e na Bienal de Curitiba (2018). Tem obras em acervos e coleções privadas e institucionais, a exemplo da Fondation Cartier (Paris), CAFA (Pequim), Embaixada do Brasil na China e Austrália, Museu de Arte do Rio (Rio de Janeiro), Museu Nacional (Brasília), entre outros. Autor de livros e artigos científicos na área de artes e arte/educação. Premiado pelo Programa Cultural da Petrobras (2004 e 2011) e pelo Museu da Casa Brasileira (2004). Indicado ao Prêmio PIPA (2017 e 2019). Em 2015, representou o Brasil na China pelo Programa de Residência Artística do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Em 2019, pelo mesmo programa, representou o Brasil na Austrália que resultou em exposições individuais no país e atual projeto de pesquisa internacional com a Australian National University.

Monica Nassar

Monica Nassar graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Mudou-se para a cidade de São Paulo, em 2014, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo, em 2016 (contemplado no Guinness Book of Records 2020) e com o fundador do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. No ano de 2017 completa a sua pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produz o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Retorna para Brasília, no ano de 2018, para participar efetivamente da sociedade no Espaço f/508 de Fotografia, onde atua na gestão de projetos criativos. Em 2019, participa pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”.

Raisa Pina

Raisa Ramos é historiadora da arte, doutoranda em Artes pela UnB, onde desenvolve pesquisa sobre desigualdade racial na formação da instituição artística no Brasil, com foco na trajetória de Estevão Roberto da Silva (1844-1891) durante seu exercício na Academia Imperial de Belas Artes. Mestra em Artes pela mesma instituição. Foi orientadora acadêmica do curso de Especialização em História e Cultura Afro-brasileira e Africana da Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduada em Comunicação Social pela UFG. Interessa-se por aproximações entre cultura, política e direitos humanos. Como jornalista, colabora com veículos nacionais, publicando artigos opinativos sobre seus temas de interesse. Atua no monitoramento de projetos e no controle de resultados do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do DF. É, também, professora na nossa Pós-graduação Lato Sensu em Fotografia como Suporte para a Imaginação.

Anne Mendes

Designer, musicista, professora e pesquisadora, Anne Mendes faz mestrado no Programa de Pós Graduação em Design da Universidade de Brasília (UnB) com foco em Design de Interação e Informação, é especialista em Artes Visuais: Cultura e Criação pelo Senac e bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Designer há mais de 14 anos, seu trabalho e pesquisa giram em torno de percepções sensoriais, improviso, processos de criação e estímulos criativos, assim como em formas empáticas de resolução de problemas. Por acreditar que a aprendizagem é um ato contínuo que deve romper as barreiras da sala de aula, tenta trazer a vida e os interesses de cada indivíduo como elementos primordiais no processo de ensino e documentação do conhecimento.

Josianne Diniz

Professora da Faculdade de Cinema e Mídias Digitais no Instituto Superior de Brasília – IESB. Doutoranda em Comunicação e Sociedade na linha de pesquisa Poder e Políticas Comunicacionais, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília – UnB. Mestra em Comunicação e Sociedade pela Universidade de Brasília, na linha de pesquisa Imagem, Som e Escrita. Bacharela em Comunicação Social em Audiovisual pela Universidade de Brasília. Dedica-se à investigação do Cinema Brasileiro e suas relações com identidade social, imaginário, representação social, análise da história a partir do cinema. O Cinema Brasileiro Periférico e sua relação com território, cultura, estética. O Cinema Latino-Americano, sua relação com a história da América-Latina, colonização, linguagem e estética. Desenvolve pesquisa também em Documentário, com ênfase em documentário ficcional, documentário observacional, fabulação, ficcionalização de si e Documentário Brasileiro Contemporâneo. Membro do Núcleo de Estudos e Produção Digital em Linguagem Sonora, NEPLIS, grupo vinculado ao Laboratório de Áudio da Faculdade de Comunicação (FAC/UnB). É cineasta, atua como Diretora em obras audiovisuais. Sua principal obra é o curta-metragem Onde Mora o Afeto (2018). Filme que aborda afetividades em ambientes periféricos.

Fabiola Notari

É artista visual, professora e pesquisadora. Doutora em Literatura e Cultura Russa (FFLCH/USP), mestre em Poéticas Visuais pela Faculdade Santa Marcelina e bacharel em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, onde lecionou de 2012 a 2020. Desde 2014 coordena o Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos e em 2018 criou o Núcleo de Livros de Artista. Ambas as iniciativas são apoiadas e realizadas na Casa Contemporânea, espaço multidisciplinar localizado no bairro de Vila Mariana em São Paulo-SP. Já participou de exposições e mostras artísticas no Brasil e no exterior com sua produção artística. É co-fundadora do Instituto Angelim. O Instituto promove ações através da educação, arte, cultura, economia criativa e cidadania para incentivar a equidade de gênero na economia produtiva do país.
Por conta de sua formação em artes visuais e de pesquisa teórica em arte, literatura e cultura russas, Fabiola Notari ministra palestras, workshops, oficinas e cursos voltados à produção, pesquisa e difusão das linguagens artísticas enquanto manifestação do indivíduo criativo. Seus principais objetos de estudos são o livro de artista, as práticas voltadas à linguagem gráfica – desenho, gravura e fotografia – e proposições interdisciplinares que mesclam cinema (audiovisual) e as artes visuais por meio das teorias e filmografia de Serguei M. Eisenstein. Também oferece com frequência orientações individuais de projetos artísticos.


Ementas

Linguagem e semiótica

Inquietações e debates acerca da atual produção imagética contemporânea, questionamentos inerentes à arte contemporânea, estrutura conceitual vs. a estética da imagem, investigação de signos e conceitos da imagem intertextual, teorias imagéticas de Jakobson, Barthes, Sontag, Sartre Mircea Eliade e Bourdieu, Peirce e o sistema das imagens e dos signos

Estética da linguagem

Imaginário, conceito de estética, experiência estética, reflexão crítica criativa, identificação de movimentos e linguagens culturais, construção de estéticas, imagem e identidade, imagem e tempo, imagem e memória, imagens literárias.

Processo Criativo

Exercícios e técnicas de processo criativo, atividades inter-relacionadas, experimentação de ferramentas e materiais, componentes de pensamento, estímulos ao desbloqueio, técnicas para formatação de ideias e estudo da criatividade.

História da arte moderna e contemporânea

Leitura de imagens a partir da compreensão de processos históricos de construção de linguagens plásticas e significados, fotografia e artes plásticas, perspectivas históricas a partir do renascimento e vanguardas.

Poéticas da imagem: fotografia e literatura

Interpretações dos textos literários de ficção, prosa e ensaística por meio da fotografia; Fundamentos da Literatura: delimitações do campo literário; Literatura e imagem; Inserção das imagens fotográficas no interior da obra literária como tema; Poesia e fotografia; A fotografia como suporte poético; Exercícios de crítica.

Poética cinematográfica: estudos da linguagem audiovisual

Cinema, “a máquina de sentimento”; linguagem cinematográfica; a imagem-movimento e a imagem-tempo; o olhar fenomenológico do cinema, teoria estética do cinema e audiovisual.

Processos históricos, alternativos e manuais da fotografia

Concepção de imagem por meios históricos, processos analógicos, prática em laboratório, cianotipia, goma bicromatada, marrom van dyke, possibilidades de pigmentos e suportes, desdobramentos estéticos.

Narrativas fotográficas

Fotografia x realidade, o extra-quadro, narrativas sequenciais x não-sequenciais, fotografia seriada, noções espaço x tempo na imagem fotográfica, o corte temporal, o corte espacial, estética do desaparecimento, os espaços discursivos da fotografia, a fotografia como texto, a fotografia como arte da memória.

Antropologia Visual

O percurso da antropologia visual, referências imagéticas, etnografia e fotografia – o uso da imagem no campo da Antropologia, a fotografia como instrumento de pesquisa e suas relações com a construção de sentido na História, codificação e decodificação das imagens fotográficas e seu processo de produção, campo discursivo da imagem, imagem fotográfica como instrumento de linguagem e documentação.

Fotografia documental contemporânea

Fotografia documental clássica, fotografia documental imaginária, fotografia documental social, fotografia documental antropológica, temas sociais, impressões sobre o mundo e registros cotidianos, estrutura clássica do documentarismo, conceitos de verdade, objetividade e credibilidade, novas formas de documentação, construção e apropriação do realismo.

Fotografia como suporte para a arte contemporânea

Práticas e técnicas adotadas pelos fotógrafos na produção contemporânea de fotografia, leitura de imagens, estratégias contemporâneas de articulação de conteúdo, fotografia e performance, fotografia e subjetividade, questões políticas relacionadas à imagem.

Criação de projetos imagéticos

Reflexão teórica e prática em ateliê, experimentação, conceito atrelado à imagem, introdução à formulação de projeto, execução de projeto individual.

Estudo de expografia

Marcel Duchamp ou a lógica do ato, dadaísmo e surrealismo, a foto-instalação e a escultura fotográfica, mistura polifônica dos materiais e dos signos, cenografia, o papel do suporte e do meio para a apresentação de conteúdos imagéticos, o histórico da expografia e a polivalência do artista, a posição sócio-espacial do artista.

Processos curatoriais

Identidade e processos curatoriais, organização e montagem de projeto artístico, pesquisa e edição de acervos, conexões poéticas,  museografia, design e montagem, difusão e memória, conceito de museu e museologia, papel do curador, reflexões sobre a prática curatorial.

Metodologia e desenvolvimento de Pesquisa

Elaboração de projeto de pesquisa, os aspectos formais, concepção e estruturação; a construção da amostra, análise do objeto, o resultado, a estruturação do texto, relação entre projeto e memorial.

Trabalho de Conclusão de Curso

Pesquisa e produção de projeto e de ensaio reflexivo orientado por um professor. Acompanhado por painel de discussão, sem efeito de menção, composto por convidados do professor.

Certificado reconhecido pelo MEC.
Esse programa é oferecido em aliança acadêmica entre a Faculdade Unyleya e o Espaço f/508.


Tem interesse no curso? Preencha esse formulário de inscrição, que entraremos em contato para agendar uma entrevista.

Investimento

R$ 16.200,00 | em até 24x de R$675,00 (2˚ lote até 25/02/2021)

R$ 18.000,00 | em até 24x de R$750,00 (3˚ lote até o início do curso)


Formas de pagamento:

• Boleto bancário: valor integral em 1+23x (cartão ou transferência bancária)

• À vista: 10% de desconto (transferência bancária)

• Cartão de crédito: 24x no cartão ou 1+23x em assinatura mensal